TOP 10 SÉRIES QUE NÃO PASSARAM NO BRASIL!!!

Vamos continuar nossa viagem pelos temas de abertura.

RADIO TOKUMUSIC DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD!!!

As programações da Radio Tokumusic PlanetSatsus está disponivel para Download! Baixe nossas Programações!!!

Novo Blog do grupo Planet Satsus

Acesse o novo Planet Force - As melhores séries ao seu alcance.

Radio Tokumusic Planet Satsus, sempre uma nova programação

Radio Tokumusic - A Radio que toca o seu coração!

Fan Fic Cast

Curta nossa nova página

sábado, 13 de maio de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 04


Data Timming... Inciando transmissão...
Os Unirangers derrotam o último dos Terroristas Espaciais: Zugaikomen. Miya decide partir e ir para o planeta Venus atrás de possíveis parentes, no entanto, a batalha acabou despertando um antigo mal sob a Terra: O Império Brazillo. Yuusuke e os outros se mantém firme para proteger o planeta mesmo sem os poderes e Miya chega para ajuda-los. A Uniana decide ficar na terra e ajuda-los contra esses novos inimigos.
Data Timming... Fim da transmissão...

Os nossos heróis passeavam com Miya pela cidade a fazendo conhecer um pouco mais da cultura terráquea. Mas de tudo o que ela vira, o que mais lhe agradara fora a comida.
- Hmmmm, como é o nome disso mesmo? – ela perguntava se deliciando.
- Nikuman. – respondia Kenshin. – É um pão cozido no vapor e com recheio de porco. Delicioso, né?
- Uhum! – ela dizia devorando outro. – O que é esse porco?
- Um animal da terra! – dizia Yuusuke enquanto comia um também. – Ou como gosto de dizer: um pedaço do paraíso!
Ao ouvir a palavra “animal” Miya cospe na mesma hora, deixando Takato um tanto sem graça e pedindo desculpas para os outros no estabelecimento. 
- Vocês comem animais aqui?! – dizia Miya. – Isso não é crime?
- Não... – dizem Yuusuke e Kenshin se olhando. – De-Deveria? – pergunta Kenshin.
- Ai, credo! Claro que sim! – dizia a alien. – No meu planeta se alguém mata algum animal esse alguém é preso. Ele tirou uma vida, ela sendo inteligente ou não. Por favor, alguém me trás algo pra beber, preciso tirar esse gosto horrível da boca.
- Gosto horrível? – indaga Takato. – Mas você estava... Bom, deixa pra lá!
- Vocês terráqueos são tão atrasados... – a alien comentava. – Isso é só aqui no Japão ou é algo no planeta todo?
- Bom, no planeta todo. – diz Yuusuke. – Mas também tem quem só come vegetais, os veganos... Alguns comem ovos.
- Não cara, veganos de verdade não comem ovos. – comentava Takato. – Deixa de ser burro!
- Bom, me desculpem... – interrompia Kenshin. – Mas carne de porco é uma delícia! Yukito amava também! Lembram?
Todos ficam tristes ali ao se lembrarem dos amigos que morreram durante o ataque. Durante aquele tempo todo eles procuraram não pensar, não sentir a perda deles, mas agora isso parecia ser impossível. 
- Yuusuke, lembra de quando a gente foi pro Brasil com o pai do Yukito? – indagava Kenshin.
- Ohhhh, foi demais! – dizia Yuusuke. – Cara, eles tem um negócio feito com o porco lá que é maravilhoso... To... To... – ele tentava se lembrar.
- Torresmo. – completava Kenshin.
- Ohhh, isso mesmo!
O garçom se aproxima com alguns tempurás de legumes. Todos estavam entretidos e mal perceberam Ino calada o tempo todo, olhando pela janela. Algo não parecia muito bem com ela. Já era noite e de repente algo passa muito rápido no céu e se choca contra o chão criando um buraco. Se tratava de uma nave diferente de tudo que já havia sido visto. De dentro dela sai um rapaz de cabelos pretos e uma blusa preta. Ele tinha um cristal pendurado no pescoço e usava uma calça cinza e sapatos negros. Em seus pulsos haviam braceletes com pedras vermelhas.
- Então essa é a Terra... – dizia o rapaz. – Deu certo! A doutora é uma jênia!

Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw

Launch 4 – Vindo do Futuro!

No castelo do Império Brazidoran, os seres do Império Brazillo pareciam armar algo. O feiticeiro Ruu aproxima-se empurrando os Dollers que se encontravam ali.
- Minha imperatriz! Meu senhor!  – dizia o vilão. – Os humanos parecem muito apegados a esse pequeno objeto. – ele mostrava um celular. – após analisa-lo minuciosamente pude perceber que ele guarda diversas magias que posso usar para um novo exército.
- Um novo exército?! – diz Kororu não gostando muito daquilo. – Quanta bobagem! Nós não precisamos de um novo exército! Posso perfeitamente cuidar dos humanos e daqueles tais Uniranger.
- Silencio, Kororu! – diz King Ika. – Explique, feiticeiro.
- Dentro desta caixa há diversos tipos de magias que auxiliam os humanos em suas tarefas, eles se tornaram displicentes e completamente dependentes dela. – o pequeno duende explicava. – Eu posso transformar essas magias em monstros para conquistar os humanos e assim podermos tomar o que nos é de direito!
- Esplendido! – diz o rei. – Usar o que é dos humanos para destruir os humanos! Isso é maravilhoso!
- Ruu, faça isso agora mesmo! – ordenava a imperatriz.
O feiticeiro começa a fazer o seu truque. Ele coloca o celular sob uma mesa e começa a balbuciar algumas palavras incompreensíveis, o trevo em sua barriga começa a brilhar e uma energia sai dela misturando-se à fumaça que ele emanava do cachimbo em sua mesa. A fumaça se torna brilhante e começa a circular o celular. De repente um dos aplicativos nele brilha de forma que esse brilho atinja a fumaça que se move para o salão principal e toma uma forma ainda esfumaçada que aos poucos vai tomando a aparência de um urso panda com partes robóticas e um jaleco branco por cima. Em sua testa se encontrava um espelho de cabeça como alguns médicos usam, um estetoscópio no pescoço e no peitoral havia o símbolo de “Power”.
- Sou o TechnoMonstro Pandaroid! – dizia o monstro se ajeitando. – Minha especialidade é cuidar do bem estar de crianças!
- Hahahaha, sua criação foi falha, Ruu! – dizia Kororu debochando. – Um monstro que cuida de crianças?! Hahahahahha
- Espere e verá! – dizia Ruu. – Pandaroid, vá e faça o que faz de melhor!
- Agora mesmo! – dizia o monstro levando o disco em sua testa ao olho e desaparecendo como num passe de mágica.
Já era um novo dia e crianças se divertiam com seus pais e famílias quando Pandaroid aparecia escondido em uma árvore. Ele observava aquilo quando duas das crianças discutiam.
- Sakura! – dizia o que parecia ser o pai das duas crianças. – Devolva a bola pro Souta!
-Eu não! – ela dizia. – Não quero brincar com ele! É muito chorão!
-Não sou não! – dizia o garotinho que parecia ter uns 5 anos. A garota, parecia ter uns 10. Ele tenta ir pra cima dela, mas o pai o separa.
- Olha aqui, vocês tem que se comportar! – a mãe dizia. – Senão nunca mais os trago aqui.
- Mas eu gosto daqui! – dizia Souta. – Mamãe, por favor!
- Eu já disse, se não se comportarem...!
- Mas foi ela que... Ahhhhh!!! – dizia o garoto chorando.
- Aí, você fez esse idiota chorar, tá satisfeita mamãe?
- Eu... Eu... – dizia a mãe sem saber o que fazer. – Ora, vocês me tiram do sério! Meu filho, não chora!
A menina emburrava a cara enquanto a mãe tentava acalmar o garoto. O monstro vê aquilo e começa a rir.
- Essa é uma mãe muito levada! – diz o monstro. – Vou resolver isso!
Em seguida, Pandaroid dispara um raio contra a mãe das crianças que parece ser sugada para dentro do disco na testa do monstro.
- Hahahaha, agora essa mãe jamais fará essas crianças chorarem! Hahahahaha! Hahahaha!
Pandaroid passa a aterrorizar a cidade prendendo todas as mães que contrariassem as crianças. Todas elas choravam sem parar. Os nossos amigos seguiam mostrando a cidade e ensinando mais um pouco sobre a Terra para Miya até avistarem um garotinho que devia ter em torno de uns 7 anos.
- O que foi, garoto? – perguntava a Uniana.
- M-Minha mãe... – ele dizia entre soluços. – E-Ela su-su-sumiu!
- A sua mãe? – perguntava Ino que andava o tempo todo calada.
- E-Ela brigava co-comigo... – o garotinho explicava ainda soluçando. – Po-Porque eu co-corri no meio da rua... E-E-E... – o garoto já não conseguia mais segurar o choro. – Su-Sumiu de repente!!!! 
O menino estava em prantos. Ino não aguenta ver o menino daquela forma e se aproxima dele o abraçando.
- Calma, como você se chama?
-Ke-Kenta.
- Kenta, nós vamos encontrar o seu pai, eu prometo!
Ino puxa o garoto pelo braço e os outros a seguem passando a procura-los. Eles percorrem todo o quarteirão e as ruas mais próximas e nada de encontrar a mãe do garoto. Eles estavam tão concentrados que mal notaram que eram seguidos pelo rapaz da nave misteriosa. O rapaz se preparava para uma aproximação quando ouve um choro de criança. Os nossos heróis também escutam e então correm na direção desse choro. Eles veem Pandaroid rindo enquanto uma criança chorava. 
- Kenta, se esconda. – dizia Ino.
O garoto obedece de prontidão e os heróis se aproximam do monstro.
- Você é que está por trás do sumiço da mãe de Kenta, não é? – diz Ino.
- Hm? – o monstro se vira para ver quem era. – Oh... Vocês devem ser os Uniranger não é? Estava esperando vocês! Hahahaha sim, eu dei um fim nessas mães terríveis.
- Mães terríveis? – diz Ino indignada. – Você não tem ideia de como uma mãe terrível é!
Eles tentam ir pra cima do vilão quando são interrompidos pelo rapaz misterioso que surge dando uma voadora no monstro.
- Quem é esse? – perguntava Yuusuke.
- Uniranger, não se preocupem. – diz o rapaz. – Eu cuido dele!
- Como ele sabe da gente? – indagava Miya.
- UniCrystal! – ele dizia tocando o cristal preso em seu pescoço – PowerHenshin!
O corpo do rapaz é revestido por uma armadura azul-esverdeada, em sua cabeça surge um capacete de mesmo tom, muito parecido com a de Policiais Espaciais.
- Policial do espaço tempo! – diz o rapaz dentro da armadura – Unimum!
- Policial do Espaço Tempo...? – perguntava Ino.
- ... Unimum? – dizia Miya completando.
O rapaz parte pra cima do monstro que desviava por pouco do ataque dele. Pandaroid então chama alguns Dollers que surgem e cercam o Policial. 
- TimeGun! – ele dizia puxando uma pistola e então disparando lasers contra os soldados que são atingidos e jogados ao chão. 
Ele volta sua atenção para Pandaroid, mas o vilão já parecia ter fugido. Intrigados com o policial, os nossos heróis o levam até a UniShip.
- Incrível ver a UniShip ativada! – dizia o rapaz olhando admirado ao seu redor. Ele avista Krinus e se aproxima do robô. – Krinus XT! Não, espera, aqui você é a primeira unidade...
- Perdão? – dizia o robô virando-se em seguida para Miya. – Está colecionando humanos agora, Srta.Miya?
- Não Krinus e isso não é algo que se fale. – ela respondia o robô voltando-se para o rapaz novamente. – Muito bem, nós viemos aqui como pediu. – ela era um tanto ríspida. – Agora nos diga, quem é você e como sabe quem somos? Porque eu conheço os Policiais do Espaço e você não é um deles!
- Não neste tempo. – dizia o rapaz notando que todos estavam confusos. – Muito bem, vamos por partes... Eu me chamo Rion e sim, eu faço parte dos Policiais do Espaço, mas não dessa época. Eu venho do futuro, mais especificamente, de 20 anos no futuro.
- Como é que é?! – diz Yuusuke se aproximando de Rion empolgado, assim como Kenshin. – 20 anos no futuro?! Eu devo tá bonitão, né não?! Diz aí!
- Como é estranho te ver assim... – dizia Rion.
- Assim como?
- Feliz. – o viajante do tempo respondia. – No futuro, eu nunca te vi sorrir.
- Mas, porque? – Yuusuke perguntava.
- Pelo motivo que me trouxe aqui. Não é fácil dizer isso a vocês, mas... No futuro vocês não existem. O Império Brazillo toma a Terra para si e dizima a raça humana. Poucos sobreviveram e você, Yuusuke-san, é o único Uniranger que sobrevive. Você liderou os remanescentes para fora do planeta, na época eu era só um garotinho.
- Então tudo o que nós estamos fazendo... – dizia Kenshin – É inútil?
- Me recuso a acreditar nisso. – dizia Miya. – Eu não sei quem realmente você é, mas isso claramente é bobagem!
- Concordo! – diz Takato. – Yuusuke ser o único sobrevivente? Impossível!
- É! – dizia Yuusuke pensando melhor em seguida. – Ei! Isso não foi legal! – ele se volta novamente para Rion. – Se o que você diz é verdade, então me diga, como fomos derrotados?
- A culpa é toda dela. – Rion apontava para Ino que até então estava perdida em pensamentos.
- Minha? – ela dizia apontando para si.
- Exatamente. – ele confirmava. – No dia de hoje, vocês enfrentariam o monstro Pandaroid e a sua revolta em relação a sua mãe te faria perder a cabeça e você acabaria morta nas mãos dele. Segundo a história conta, sem você os Unirangers seriam incapazes de usar todo o seu poder e acabariam derrotados e o Império Brazillo derrotaria facilmente o exército da Terra e acabaria por fim conquistando o planeta. – ele se vira para Yuusuke. – Você mal sobreviveu, uma boa parte do seu corpo foi destruída.
- Como ousa?! – dizia Ino indignada. – Quem é você pra falar alguma coisa dos meus sentimentos quanto a minha mãe?! Quem?!
- Ino, eu posso dizer porque eu... – ia dizendo ele até ser interrompido pelo alerta da nave.
Krinus visualizava o motivo do alarme e confirmava que Pandaroid voltara a atacar as mães de outras crianças. Sem querer dar ouvidos, Ino parte de lá. Por dentro, ela dizia para si mesma que mostraria a Rion que não seria derrotada. Ela chega com tudo pra cima do monstro, já transformada.
- Mercury Bubble Bomb!!! – diz a heroína azul utilizando as Mercury Daggers. Ela assopra bolhas explosivas contra Pandaroid que é pego de surpresa. - Pandaroid! Devolva as mães dessas crianças agora mesmo!
- Oh? SeiunMercury! - diz o monstro feliz ao vê-la. - Veio sozinha?! Muito bem, vejo que é muito corajosa, mas se quiser as mães dessas crianças de volta, vai ter que me derrotar numa batalha mano a mano!
- Se esse é o único jeito...
SeiunMercury parte pra cima do monstro desferindo ataques com suas adagas. Em seguida ela dá uma sequencia de golpes e finaliza com uma ajoelhada fazendo o vilão cair. A heroína então se prepara para atacá-lo novamente.
- Espere! Espere! Você não teme o que vai acontecer com as mães das crianças?!
- Como é? - diz a heroína parando seu ataque. - O que quer dizer?
- Se você me destruir vai acabar destruindo também as mães das crianças! - diz o monstro. - Vê? Elas estão todas aprisionadas no espelho em minha cabeça. Se eu for dessa pra melhor, elas vão junto comigo! Hahahahahha.
- Desgraçado... - diz ela cerrando os punhos. 
Os outros finalmente chegam, também transformados. Eles se preparam para unir-se a ela quando a mesma se vira para eles.
- Não!!! - ela diz se pondo no caminho dos companheiros. - Vocês não podem!
- Ino! - dizia SeiunSaturn. - Porquê?! Porque está em nosso caminho?
Aproveitando a distração, Pandaroid se movimenta rapidamente e então se prepara para o ataque. Unimum corre rapidamente e se poe entre os dois segurando o ataque com sua TimeBlade.
- O que está fazendo?! - diz ela se surpreendendo.
- Você claramente não está pensando direito! - diz o policial do espaço-tempo. - Poderia estar morta agora e o meu futuro aconteceria.
- Ahhhhhh!!!! - SeiunVenus aparece correndo e acerta Pandaroid com um soco.
- Miya-chan! Não, pare! Eu não posso... Não posso ver mais nenhuma criança sem mãe!
- Os meninos me contaram. - ela dizia interrompendo. - Sua mãe te abandonou quando criança, simplesmente desapareceu não foi? - ela dizia enquanto lutava sem parar contra o monstro. - Eu nunca tive minha mãe também! - ela desvia de um ataque. - Agora eu também não tenho o meu pai... Ao meu ver, você ainda está melhor do que eu!
- Miya-chan...
- Tem outra coisa também! - dizia SeiunJupiter se juntando a SeiunVenus.
- Estamos fazendo isso por você! - diz SeiunMars tocando no ombro de SeiunMercury.
- Fazendo isso por mim? - ela indaga. - Mas, como? Como isso pode ser por mim?
- Você se esqueceu? - indaga Unimum. - De onde eu venho? Acha mesmo que eu não tenho uma solução pra esse problema?
- De onde você vem... - ela dizia pensando. - Mas é claro! Claro!
SeiunMercury volta a atacar o monstro que apenas recua ficando surpreso com a atitude da garota.
- M-Mas como isso é possível?! Por acaso não liga para as mães das crianças?!
- Uma pessoa como você nunca entenderá o que é um amor entre mãe e filha, você se aproveitou dos sentimentos dessas crianças e as fez chorar... Pandaroid, eu não posso te perdoar!!
- O quê?! - diz o monstro enfezado com aquelas palavras. - Ora, não diga besteiras!!
Unimum se aproxima de SeiunMercury e dos outros.
- Os guerreiros nascidos das galáxias! Seiun Sentai... - diz SeiunMercury.
- UNIRANGER!! – diziam os cinco em uníssono enquanto uma explosão ocorria atrás e o símbolo de um planeta surgia ao fundo.
- Policial do espaço tempo! – diz Rion esticando a mão para a direita enquanto levava a outra para o rosto e então se posiona em pé e apontando para o inimigo e fechando o punho – Unimum!
- Tolos, vocês não são páreos para mim!!!!! - diz o monstro. - Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh... Soldados Dollers!!!!
Os Unirangers enfrentam os Dollers enquanto que SeiunMercury e Unimum enfrentam Pandaroid. Todos lutam incrivelmente, SeiunMercury e Unimum lutam lado a lado. Porém, aproveitando-se de um momento desprevenido, Pandaroid lança seu estetoscópio contra a heroína, Unimum vê e pula na frente sendo atingido pelo ataque e depois por um outro com a garra do inimigo se destransformando em seguida, SeiunMercury corre até ele e o abraça. 
- Não... - ela dizia. - Rion-san... Porquê?! Porque se deixou ser atingido?!
- P-Porque a sua mãe... - ele dizia com muita dor. - Ela jamais me perdoaria.
- M-Minha mãe?! Ela...
- Ela não te abandonou, Ino... - o rapaz explicava. - Ela conseguiu. Ela conseguiu ir para o futuro.
- Sim, meu pai me disse que ela era uma cientista, mas... 
- E-Ela queria que ficasse com isso... - Rion diz entregando um objeto para ela. - Por favor, Ino... - diz tentando segurar a dor. - Proteja o futuro...
Rion acaba se entregando à dor e perde os sentidos. SeiunMercury olha furiosa para Pandaroid e parte para cima dele o atacando enlouquecidamente. Os outros se livram dos Dollers e se juntam a ela. A Magnum Cannon surge voando onde os nossos heróis se localizam e pousa nas mãos de SeiunMercury que a posiciona deitada enquanto os outros a ajudam a segurá-la.
- MAGNUM CANNON! – dizem os cinco em uníssono.
- Preparar para o lançamento! – dizia SeiunMercury olhando para SeiunVenus que tentava centralizar o vilão no meio.
- Na mira! – diz ela ao conseguir.
- Disparar! – comandava a Uniranger mercuriana.
No que o comando é dado, a cabeça da arma nave é disparada numa velocidade surpreendente. Com a imagem de uma nave espacial atravessando os planetas e asteroides dos respectivos heróis, ela atravessa o monstro com tudo causando uma forte explosão que lança o espelho de cabeça dele em direção aos nossos heróis indo parar nas mãos de SeiunMercury. No castelo Brazidoran, o Rei Ika e a Imperatriz Diiruma estavam furiosos.
- Feiticeiro desgraçado! - diz o rei lançando sua fúria contra o duende. - Você disse que o monstro acabaria com eles!
- Eu disse que era um péssimo plano! - diz Kororu.
- Ele ainda pode nos ser útil, Vossas Majestades! - diz o duende fazendo com que uma folha semelhante à de sua barriga saísse dela. Ele então movimenta o cachimbo em círculos balbuciando palavras em uma língua desconhecida e lançando a folha magicamente sob os restos do monstro. Pandaroid é revivido e toma uma forma gigantesca. Os nossos heróis se assustam com aquilo.
- Pandaroid ficou gigante! - dizia SeiunMars.
- Oh, é mesmo Sr.Óbvio? - SeiunSaturn dizia implicando com o amigo. - Nós podemos usar as SeiunMachines, não podemos?
- É mesmo! - diz SeiunJupiter – Bem lembrado!
- SeiunMachines, lançar! - comandava SeiunVenus.
Um compartimento na UniShip se abre e então cinco máquinas se preparavam para sair do deck. Um carro de exploração em cor verde, um caça preto com detalhes dourados, um disco espacial em tom amarelo com o topo preto, um satélite azul e por fim um foguete vermelho com detalhes dourados e led verde. 
- LAUNCHING... RED ROCKET! -
- LAUNCHING... YELLOW DISK! -
- LAUNCHING... BLACK FIGHTER! -
- LAUNCHING... GREEN EXPLORER! -
- LAUNCHING... BLUE CRAFT! -
As máquinas são lançadas em direção aos heróis que olhavam  tudo aquilo maravilhados. Seiun Venus salta entrando no mecha e então os outros prontamente fazem o mesmo. O RedRocket é o primeiro a atacar Pandaroid que segura o mecha e o lança contra os outros. BlueCraft consegue desviar e dispara um raio contra o monstro que se afasta e dispara um raio de seu olho robótico.
- Isso não está dando certo! - diz SeiunSaturn. - Por favor, alguém mostre uma solução mais eficiente!
- Se é assim porque não mostra uma você, sabichão? Ah é, você deu essa ideia das SeiunMachines! - dizia SeiunMars.
- Quietos vocês dois! - Dizia SeiunVenus. - Isso não é hora pra discussão, Krinus está tentando me dizer algo, o que você dizia?
- Eu vasculhei os arquivos das SeiunMachines... - dizia Krinus. - O Dr.Krim estava desenvolvendo uma nova forma de combate com elas que vocês talvez consigam... O nome o Projeto se chamava UniGreat.
- Será que esse é o poder total que Rion-san quis dizer?
- Olha, é melhor que nada! Por mim, vamos tentar! Quem tá comigo?! - dizia SeiunMars empolgado.
- Vamos nessa! - dizia SeiunJupiter em seguida.
- Ah... - SeiunVenus suspirava. - Unirangers, iniciar o Projeto UniGreat!
- Ok! - diziam todos em uníssono.
Os cinco recebem instruções do que fazer e então iniciam o projeto.
- SEIUN GATTAI! -
- LAUNCHING... RED ROCKET! -
- LAUNCHING... YELLOW DISK! -
- LAUNCHING... BLACK FIGHTER! -
- LAUNCHING... GREEN EXPLORER! -
- LAUNCHING... BLUE CRAFT! -
- STARTING! CHOU FORMATION! -
O foguete se encaixa à nave espacial. O jato de divide formando os braços que se acoplam ao robô. O carro espacial toma a forma de uma perna que se acopla à turbina direita do foguete enquanto o satélite toma a forma de uma perna também que se acopla à turbina esquerda do foguete. Um compartimento na parte superior do foguete se abre revelando um rosto que brilha seus olhos intensamente e se mantendo ligado.
- PODEROSO UNIGREAT! ATERRISSAR! – dizem todos em uníssono.
Pandaroid parte pra cima de UniGreat com suas garras o fazendo se afastar.
- Com o meu poder ampliado, vocês jamais poderão me deter!!! - diz o vilão lançando seu gigantesco estetoscópio contra o robô, o prendendo pelo pescoço.
UniGreat tenta se livrar daquilo, mas demonstra ter dificuldades.
- Aguentem firme! Eu sei o que fazer! - dizia SeiunVenus.
UniGreat estica sua mão e então como um raio, uma espada cai e o robô a pega cortando o estetoscópio logo em seguida.
- Ohhh.... Oh... Meu estetoscópio!!! - Pandaroid olhava desesperado para aquilo. - Desgraçados! Vocês vão ver! Esse espelho será meu!!!
- Não se eu puder impedir! Isso acaba agora!
- Preparar o ataque final! - comandava a uniana.
- SEIUN SABRE! - os cinco dizem no que o UniGreat balançava sua espada de um lado para o outro. Em seguida ele puxa a espada e a para em 90º perpendicular à cabeça. - CHOU SLASHING BOLT!
UniGreat enche sua lamina de energia com raios que caíam sob um fundo negro. O robô corre na direção do monstro que corre na direção do mesmo. Os dois se preparavam para um ataque final quando a espada atravessa o monstro verticalmente e depois horizontalmente. Pandaroid gira seu corpo em 360º e se choca contra o chão criando uma grande explosão. UniGreat se posiciona em pé enquanto os Unirangers comemoravam a vitória.
- Isso sim é uma vitória de outro mundo! - dizia SeiunMars fazendo joinha para SeiunSaturn que apenas leva a mão ao capacete.
Pouco tempo depois, eles estão fora do mecha e de encontro a Krinus que entrega um aparelho para SeiunMercury.
- Será que vai dar certo? - questionava ela.
- Só tem um jeito de saber... - dizia SeiunSaturn.
- Certo... - ela pega o espelho de cabeça e o joga pra cima. 
Em seguida, ela pega o aparelho e o aciona, disparando um raio que bate no espelho criando um forte feixe de luz de onde surgem as mães aprisionadas. As crianças aparecem correndo pra elas que as abraçam. As mães agradeciam os nossos heróis que pareciam aliviados. No castelo Brazidoran, o duende Ruu era castigado pelos governantes do Império Brazillo.
- Por favor, eu peço clemencia! Meu senhor! - implorava o vilão.
-Eu não tolero falhas, você sabe disso! - dizia o rei Ika torturando o feiticeiro com os tentáculos em sua cabeça.
- Já chega, querido. - dizia Diiruma. 
- Mas, meu amor...- o rei parecia insatisfeito.
- Querendo ou não, precisamos de um exército novo. - ela explicava. - Ruu é o único capaz de faze-lo. 
- O-Obrigado, minha benevolente rainha! - ele dizia em reverencia. - O próximo será mais poderoso, eu lhe prometo.
- Assim espero!
Na Uniship, Ino parecia unir forças para acionar o objeto dado por Unimum. Parte dela queria saber o que estava naquela mensagem, parte tinha receio.
- Io, Ino-chan! - dizia Yuusuke se aproximando e a abraçando. - O que está... Ohhhhh, é a mensagem da sua mãe que o Rion disse não é? Já viu?
- N-Não... - ela dizia baixinho.
- O quê?! - ele dizia tomando o objeto de sua mão. - E o que está esperando? Não sabe ligar esse troço? Vamos ver...
- Yuusuke-kun! - ela dizia com raiva. - Me devolve isso!
- Calma, eu vou conseguir e... - ele desviava o objeto das mãos de Ino enquanto mexia quando acaba o ativando sem querer.
Um holograma se faz diante deles e a imagem de uma linda mulher de cabelos longos e negros com uma roupa de cientista aparecia.
- Ino, se você está vendo essa imagem é porque Rion te encontrou. - dizia o holograma. - Minha filha, eu tenho tanta coisa que gostaria de lhe contar...
Ino fica estática  Yuusuke coloca o objeto nas mãos da garota e sai de fininho com um sorriso no rosto. A heroína do planeta Mercúrio assistia à mensagem com olhos de uma criança vislumbrada.
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
- Olá! As coisas parecem estar tensas no quarto da Srta.Ino, melhor iniciarmos o nosso quiz, podemos?  – dizia o robô. - O episódio de hoje foi centrado na Srta.Ino então nada mais propício que falarmos do planeta que emprestou seu poder: Mercúrio! – ele apontava para o telão que mostrava uma imagem do planeta. - O planeta Mercúrio ganhou esse nome por causa do deus romano da velocidade devido ao movimento rápido do planeta em torno do sol. Qual é essa velocidade? A resposta vem logo após o encerramento!

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: 180 mil quilômetros  Isso são 72 mil quilômetros a mais que a Terra! Isso quer dizer que um ano lá dura cerca de 88 dias terrestres! Muito pouco tempo, não acham? Agora fiquem aí e vejam o que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!
Yuusuke descobre que Miya esconde alguma coisa, ele passa a segui-la e os dois acabam presos em uma caverna, serão eles capazes de escapar dessa caverna? Qual será o segredo de Miya? Será que algum sentimento escondido será mostrado? Launch 5 – Amor ou Amizade?


Pandaroid
UniGreat
Rion
Unimum

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Force Five, NeoChangeman, Ginga no Taazan - Episodio Especial - Choque de Realidades


Sejam todos muito bem vindos. A vocês que estão acompanhando Force Five, NeoChangeman e Ginga no Taazan - O Retorno do fantástico Jaspion, Seja muito bem vindo a este episodio especial que reúne três personagens dessas sagas em um único lugar. Nesta aventura que acontece durante os episódios 15 de Neochangeman e Force Five, e o episodio 09 de Ginga no Taazan, você presenciará uma batalha jamais vista. pela defesa do bem e da paz. Presencie a união desses três poderes e se quiser, deixe seu comentário.

Episodio de comemoração de 2 anos da Fanfic Force Five.

NEOCHANGEMAN, FORCE FIVE E GINGA NO TAAZAN EM :
CHOQUE DE REALIDADES

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Recado aos usuários do blog


Pessoal, aqui é o Rodrigo Pereira. Venho por meio dessa mensagem informar que infelizmente, uma das filhinhas recem nascidas do nosso amigo e companheiro de blog Gilson Andrade veio a óbito na madrugada da terça feira dia 02/05.

Por isso, todas as postagens que são de responsabilidade dele estarão paradas por tempo indeterminado(pelo menos até ele esta disposto novamente para volta as atividades).

Todos nós da família Planet Satsus estamos com ele nesse momento difícil. Deus levou mais um anjo para o céu e só nos resta aceitar.

Grande abraço a todos.

Força Gilson Andrade...

sábado, 29 de abril de 2017

ESQUADRÃO DIMENSIONAL FORCE FIVE - EP 15

poster_definitivo.png

Fala galerinha do Planet Satsus, estamos chegando com mais um episodio de ESQUADRÃO DIMENSIONAL FORCE FIVE. Se você ta acompanhando a saga, não esqueça de deixar seu comentário, pois ele é muito importante para nós. Uma ótima leitura, fiquem com Deus e até a próxima.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 03



Data Timming... Inciando transmissão...
Miya, uma habitante do planeta Uni chega a terra após seu planeta natal ter sido destruído. Lá, ela conhece 4 jovens membros de uma banda que a vem desfeita após o ataque dos Terroristas espaciais, os mesmos que destruíram o planeta da Uniana. Yuusuke, um dos jovens músicos, pede para se juntar a ela e seus 3 amigos, mas Miya nega devido ao jeito folgado do rapaz. Enquanto ela e os 3 terráqueos enfrentavam Zugaikomen, o último Terrorista Espacial, Yuusuke ganha o direito de se tornar o mais novo Uniranger.
Data Timming... Fim da transmissão...

- MarsBlazer! – dizia o herói de vermelho esticando o braço onde sua arma estava presa. Ela parecia uma espécie de pistola. De repente, uma lamina toma o lugar do cano de disparo. – Blade Mode!
Ele então corre contra os Bosers que se enfileiram e partem para cima dele. O herói atravessa e fatia os soldados que caem e explodem. Os outros Unirangers se impressionam com o poder de Yuusuke e se empolgam, Zugaikomen então aparece.
- Meus Bosers!! – o vilão dizia indignado. – Maldito!!! Quem você pensa que é?
- O Guerreiro Explosivo! - diz Yuusuke jogando o tronco pro lado direito enquanto levava o braço esquerdo por cima da cabeça e levando o punho direito pra frente no que a imagem do planeta Marte aparecia no fundo – SeiunMars!
- Demais! – dizia Seiun Jupiter – Yuusuke se tornou um Uniranger como a gente!!!
- Iei... – diz SeiunSaturn em um tom nada animador.
- É hora de botar fogo nessa joça! – dizia SeiunMars olhando para os outros que apenas tentavam disfarçar. – Foi ruim essa?
- Cara... – dizia SeiunSaturn – Só luta, vai...
SeiunMars parte pra cima de Zugaikomen com a MarsBlazer em Blade Mode no que o vilão faz um pedaço de osso sair de seu punho direito. Eles começam a trocar golpes simples. O Terrorista Espacial ataca o herói com um pouco mais de força o empurrando pra trás com o impacto. SeiunMars então pega impulso e se prepara para um novo ataque.
- Mars Dynamic Slash! – diz o herói fazendo um circulo de energia simbolizando o planeta. Em seguida, ele o corta na diagonal, formando o anel e lançando o poder contra o terrorista.
Zugaikomen olha o ferimento que Seiun Mars causa em seu peito e o olha com ódio.
- Maldito Uniranger da Terra! – o vilão parecia emanar fogo dos olhos. – Pagará caro por isso!!!
- Tenho que confessar, estou surpresa. – dizia SeiunVenus tocando o ombro de Yuusuke. – Você não é nada mal.
- Hehe... – ele ria por dentro do capacete enquanto fazia um sinal de vitória com as mãos.
Seiun Venus retira uma chave parecida com as Seiun Keys, só que dourada e vermelha.
- MAGNUM KEY! UCHIAGE! – dizia ela encaixando a chave no changer.
Uma luz começa a piscar na Seiun Ship como se um lançamento fosse preparado. Krinus olhava preocupado para aquilo enquanto parecia consertar a nave.
- Srta.Miya, tenha cuidado!!! – ele dizia. – Estou quase terminando os reparos.
Ele volta aos afazeres enquanto que numa ala da nave, uma espécie de nave pequena era preparada.

- 3... 2... 1... -
- MAGNUM CANNON! LAUNCH! -

A nave aciona os propulsores e realiza o lançamento. Ela voa diretamente até onde os nossos heróis se localizam e pousa nas mãos de SeiunVenus que a posiciona deitada enquanto os outros a ajudam a segurá-la.
- MAGNUM CANNON! – dizem os cinco em uníssono.
- Preparar para lançamento! – a heroína amarela dizia olhando para SeiunMercury.
Mercury nota uma espécie de mira na parte da nave que ela segurava. Pela mira, a heroína observa Zugaikomen se levantar cambaleante e irritado, ela a posiciona de forma a centralizá-lo.
- Na mira! – dizia ela para Venus.
- Disparar! – comandava a Uniranger alien.
No que o comando é dado, a cabeça da arma nave é disparada numa velocidade surpreendente. Zugaikomen ainda tenta ataca-los, mas é atingido em cheio pela arma causando uma forte explosão. Os Unirangers se viram ainda segurando a arma.

Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw

Launch 3 – O Terrível Império Brazillo!

Uma enorme explosão acontece atrás dos nossos heróis. Eles olham assustados ao verem que Zugaikomen estava vivo ainda, agora em sua nave. O vilão a pilotava auxiliado pelos poucos Bosers que ainda restavam.
- Já estou cansado dessa interferência toda! – dizia o Terrorista Espacial. – Darei um fim nisso, se as Seiun Keys não podem ser minhas, não serão de ninguém mais! Hahahahaha.
A nave disparava contra a cidade causando destruição e caos. Os Unirangers passavam pelas pessoas que corriam em pânico sem saber o que fazer.
- Agora já era! – dizia SeiunMars. – Como vamos proteger essas pessoas?!
-Infelizmente, Yuusuke está certo. – concordava Seiun Saturn. – Não temos artilharia pesada contra a nave dele.
- É aí que vocês se enganam! – corrigia SeiunVenus. – Seiun Machines, lançar! – comandava ela em seguida.
Um compartimento na UniShip se abre e então cinco máquinas se preparavam para sair do deck. Um carro de exploração em cor verde, um caça preto com detalhes dourados, um disco espacial em tom amarelo com o topo preto, um satélite azul e por fim um foguete vermelho com detalhes dourados e led verde. 
- LAUNCHING... RED ROCKET! -
- LAUNCHING... YELLOW DISK! -
- LAUNCHING... BLACK FIGHTER! -
- LAUNCHING... GREEN EXPLORER! -
- LAUNCHING... BLUE CRAFT! -
As máquinas são lançadas em direção aos heróis que olhavam  tudo aquilo maravilhados. Seiun Venus salta entrando no mecha e então os outros prontamente fazem o mesmo. 
- Tá na hora de mostra pra que viemos pessoal! – dizia a heroína alien no que os outros concordavam.
Os Unirangers partem para a batalha dentro de seus mechas, o Yellow Disk é o primeiro a atacar, ele dispara raios de suas pistolas laterais seguido de mísseis da parte superior do mecha, em seguida é a vez do Black Fighter que dispara mísseis teleguiados contra a nave inimiga, o Green Explorer lança suas garras contra o inimigo e prende a nave, mas Zugaikomen dispara contra as cordas e as arrebenta. Alguns caças aliens saem de dentro da nave dos Terroristas Espaciais e começam a disparar contra o Red Rocket.
- Então é de bang bang espacial que querem brincar, huh? Muito bem... – dizia o herói vermelho.
Os pés do foguete são disparados revelando-se mísseis que atingem os caças e os fazendo explodir.
- Malditos, Unirangers! – gritava o vilão de dentro da nave. – Porque não morrem de uma vez?! Por que?!
- Zugaikomen, eu te disse... – dizia Seiun Venus. – Vai pagar pelo que fez ao meu planeta natal! Os meus amigos... O meu pai... – ela movia a cabeça para baixo, em tristeza ao se lembrar. – Kiriba!
- Não diga besteiras!!! – gritava o vilão indo com tudo pra cima dos nossos heróis em sua nave.
Miya envia algo para eles através do computador dos mechas e todos entendem a estratégia. O Green Explorer e o Black Fighter tomam a dianteira posicionando um na frente do outro. Em seguida, o Yellow Disk faz o mesmo. Red Rocket por fim para em cima dos três mechas enquanto que o Blue Craft se anexa entre as turbinas. Os cinco mechas se energizam e então o Red Rocket é lançado como se estivesse numa pista de voo. O mecha vermelho e a nave do Terrorista Espacial se chocam fazendo com que a nave do inimigo explodisse com o impacto enquanto que o Red Rocket pousava em pé junto dos outros mechas novamente.
- Os Terroristas Espaciais... – SeiunVenus dizia aliviada. – Eles finalmente foram derrotados.
O comunicador dela tocava quase que no mesmo instante. Se tratava de Krinus logicamente. Ele anunciava que os reparos na UniShip haviam sido completados. Imediatamente, os nossos heróis retornam e se preparam para despedirem-se.
- Jamais esquecerei o que fizeram por mim. – dizia Miya agradecida. 
- Nós é que agradecemos. – dizia Ino um tanto sem graça.
- Jamais vamos esquecer essa aventura, né não Yuusuke? – dizia Kenshin.
- Com certeza, mano! – Yuusuke cumprimentava o amigo com o bater de pulsos.
- Vocês humanos tem um costume intrigante. – a uniana dizia.
- E o que vai fazer agora? – questionava Takato.
- Bom, minha família é descendente de Venusianos. – ela dizia pensativa. – Pensei em procurar familiares lá.
- Ohhh... – Yuusuke via seus olhos brilharem. – Demais!!! Me leva, por favor! – ele tentava agarrar o braço de Miya.
- Err... Acho melhor não! – ela desviava no mesmo instante. – Não possuo traje especial e você provavelmente não sobreviveria à atmosfera do planeta Vênus.
- Oh... – Yuusuke ficava triste no que Kenshin tentava consolá-lo e achando graça daquilo.
Takato levava a mão ao rosto quando Krinus fazia um sinal de que era a hora. Os terráqueos se despediam dos aliens e saem da UniShip que levantava voo.
- A Senhorita está bem? – indagava o robô. – Estou captando leituras irregulares na senhora.
- Não é nada. – respondia a uniana que já estava em sua forma verdadeira. – É apenas uma sensação passageira.
Yuusuke via a UniShip subir e sumir nos céus e parecia triste. Ele pegava pedras no chão e as jogava no mar à frente dele e dos outros.
- Droga, logo agora que eu tinha entrado pra equipe... – ele dizia.
- Pois é... – diz Kenshin se aproximando do amigo. – Eu te entendo! Foi bem legal.
- A gente vai ter que se conformar, pessoal. – dizia Ino triste também.
- Eu estou tranquilo. – diz Takato com as mãos na nuca. – Chega de se meter em encrenca. Quero saber é como vai ficar a banda daqui pra frente?
- É mesmo! – Yuusuke voltava a se alegrar. – A Banda! Acho que devíamos continuar, Yukito e Yoshi iriam querer isso.
- Concordo. – dizia Ino.
- Eu também topo! – Kenshin concordava.
Os três olham para Takato que os olha também.
- Tô fora. – ele responde. – Não vou tocar com ele. – apontava pra Yuusuke.
- Ora, mas porque? – indagava o rapaz de cabelo platinado.
- Está sempre atrasado, não dá pra confiar. – respondia ele. – É irresponsável demais.
- Hehhhh?! – Yuusuke ficava indignado com aquelas palavras. – Eu salvei o dia ali atrás...
- Grande coisa, teríamos dado um jeito.
- Takato...!
Os quatro iam andando embora dali. Eles mal perceberam o que acontecia abaixo deles. Ninguém percebera. 
- A explosão causada pela luta final contra Zugaikomen e os Terroristas Espaciais causara um impacto na terra. Um impacto que mudaria a vida de todos dali em diante. Ninguém mais na terra se lembrava que no seu núcleo habitava um castelo e nesse castelo, seus habitantes permaneciam adormecidos... Até aquele momento.
Em algum lugar aos arredores de Quioto, o castelo finalmente se ergue liberando uma energia terrível. Estátuas começavam a se desfazer, revelando criaturas vivas dentro delas.
- Nha... Nha... – uma criatura esquisita semelhante à um duende gemia enquanto quebrava a casca que o mantinha adormecido. Ele usava vestes brancas e possuía o desenho de um trevo em sua barriga. Em sua mão direita, ele segurava algo que poderia ser um cajado ou um cachimbo. – Que soneca, boa! (ゴブリン 魔法使い ルー - Duende Feiticeiro Ruu)
O duende se aproxima com seus enormes pés de outra estátua batendo nela, de forma a acelerar o processo.
- Acorde! Vamos! – dizia o duende que continuava a bater na estatua com o objeto em sua mão.
A estátua terminava de quebrar revelando um homem em armadura de aço com detalhes azuis. A mão direita era toda azul com espinhos saindo.
- Livre finalmente! – dizia o homem esticando os braços. (将軍 コロール - General Kororu)
As duas outras estatuas também terminam de se quebrar revelando uma mulher em traje real com um rosto monstruoso, uma sombra vermelha em volta dos olhos dourados e um longo cabelo loiro. O outro também usava trajes reais, mas tinha uma cabeça que lembrava a de um polvo ou uma lula. Tentáculos se mexiam saindo da cabeça e batiam em seu peitoral.
- Meu senhor... Minha senhora... – dizia Kororu se ajoelhando no mesmo instante.
- Após séculos finalmente despertamos, meu amor! – dizia o monstro com cabeça de lula. (キング・イカ - Rei Ika)
- Sim, meu amado! Fomos aprisionados no passado, mas finalmente despertamos! (女帝 ディルマ - Imperatriz Diiruma) Kororu, ataque a Terra, mostre aos seres humanos que uma nova era está pra começar! Finalmente esse planeta será governado por nós!
Como ordenado, o tal guerreiro Kororu aparece em Quioto. Ele olhava para as pessoas que viviam pacificamente e se assusta ao ver os carros passando perto dele.
- Muita coisa mudou... – o vilão dizia espantado. – Mas duvido que uma tenha!
O vilão imediatamente empunha uma espada e dispara raios contra os prédios à sua frente que explodem. As pessoas imediatamente correm e gritam assustadas. O vilão ria sadicamente, em seguida ele estica a mão pra cima no que várias criaturas de porte médio de cabelos negros e usando uma máscara aparecem. O corpo delas parecia ser feito de cédulas de dinheiro. (ドルラー兵士 - Soldados Dollers) Essas criaturas começam a correr atrás das pessoas aumentando ainda mais o caos.
Yuusuke, Ino, Takato e Kenshin comiam próximos a um estúdio de gravação. Yuusuke parecia desanimado.
- Cara, que balde de água fria... – ele dizia chateado.
- É... O ataque de Trong ao estádio fez com que o nosso primeiro show fosse por água a baixo. Agora ninguém quer trabalhar com a gente. – comentava Kenshin.
- Calma gente. – dizia Ino. – A gente não pode desistir ainda.
- Ino tem razão, isso vai passar logo logo. – comentava Takato.
- Takato, não era você quem disse que não queria continuar? – indagava Yuusuke.
- Sabe como é... – Takato ajeitava o chapéu em sua cabeça. – Eu não poderia deixar a Ino sozinha com alguém como você.
Ino ficava corada. Em seguida, Yuusuke puxa Takato pela gola da camisa.
- O que está insinuando?!
- Quer mesmo que eu diga?
Os dois se encaram até notarem as pessoas do lado de fora correndo apavoradas. Yuusuke olha para Kenshin que abre um sorriso. Os dois saem do restaurante na mesma hora e correm na direção contrária à das pessoas. Ino vai atrás deles, preocupada e Takato, sem muito o que fazer, deixa uma gorjeta e corre também. Os quatro acabam se deparando com Kororu e Yuusuke chuta uma latinha que bate na cabeça do vilão, o fazendo se virar. 
- Então os Terroristas Espaciais não foram totalmente derrotados, huh?
- Terroristas Espaciais? – indagava o vilão. – Não entendo sua linguagem moderna, humano. Mas isso não importa, renda-se diante do incrível Império Brazillo!
- Império Brazillo?! – diziam Yuusuke e Kenshin ao mesmo tempo.
- Então são novos inimigos... – pensava Takato em voz alta. – Droga, logo agora...
- Precisamos fazer alguma coisa! – dizia Kenshin.
- É, mas o que podemos fazer? – indagava Ino. – Miya-chan se foi. Nós não temos poderes.
- Heh, e daí? – dizia Yuusuke dando um soco na própria mão. – Não preciso de poderes pra acabar com esse cara!
O rapaz pega impulso e sai correndo pra cima do vilão que parece não sentir nada. Kenshin acaba seguindo Yuusuke e vai pra cima do vilão também mas este dá um tapa no rapaz que vai ao chão. Kororu então se aproxima de Ino e a puxa pelo pescoço.
- Você daria uma bela amante. – diz o vilão. – Se souber agir direitinho, posso poupar sua vida.
- Desgraçado, não toque nela! – diz Takato se enfurecendo e partindo pra cima de Kororu que solta a garota e desvia facilmente dos ataques do rapaz.
A UniShip acabava de sair da atmosfera terrestre quando algo era detectado. A uniana estranha aquilo.
- O que houve, Krinus? – ela perguntava ao robô.
- É a Terra, Senhorita. – respondia o robô que baixava os dados da leitura recebida. – Algo não está normal. As leituras indicam que ela está sob ataque.
- Sob ataque?
- O que vai fazer, Srta.Miya? – o robô perguntava. – Continuamos a viagem ou retornamos para ajuda-los?
Miya se  pensativa. Por um lado ela ansiava por ir ao encontro de possíveis familiares, no entanto, parte dela queria ajudar aqueles que a acolheram tão bem. O que ela faria?
- Me mostre os meus amigos! – ela comandava a nave. 
O telão à sua frente então mostra Quioto sob destroços. Ela via Ino, Takato e Kenshin caídos, feridos.
- Não somos nada sem as Seiun Keys... – dizia Takato pelo telão.
- Eles são fortes demais pra gente. – Ino falava bastante ferida.
- E daí que o inimigo é forte? – Yuusuke dizia ao se levantar. Ele encarava o inimigo. – Isso é motivo pra desistirmos e deixarmos que façam o que querem? Enquanto eu puder, eu vou lutar!
- Se o Yuusuke vai lutar, então eu também vou! – dizia Kenshin.
- Ele é mesmo intrigante... – dizia Miya deixando escapar.
- O que disse, Senhorita? – perguntava o robô não captando o que ela dizia.
- Não é nada. – ela dizia num estalo. – Krinus, trace a rota de volta para a Terra. Seja lá quem for o inimigo, irá pagar muito caro!
- Sim, Srta. Miya.
A UniShip retorna para a Terra em alta velocidade. Ino, Takato e Kenshin enfrentavam as criaturas que auxiliavam Kororu. De repente, eles se deparam com uma enorme sombra que era causada pela nave da Uniranger. A nave dispara contra o vilão e os soldados. Miya salta de lá já em seu disfarce humano.
- Pessoal! – ela dizia se aproximando deles.
- Miya-chan! – dizia Ino em um tom de alivio.
- Você voltou! – Kenshin estava muito feliz em revê-la.
- A nave captou uma leitura de ataque na terra. – a alien explicava. – Eu não poderia abandona-los depois de tudo. – ela se aproxima de Yuusuke. – Você está bem?
- Heh, to sussa! – dizia o rapaz fazendo um joinha com muita dificuldade.
-Err... "Sussa"? - ela perguntava enquanto o ajudava a se levantar.
- Desgraçada, quem é você?! – dizia Kororu chamando a atenção deles.
- Eu sou a única sobrevivente do planeta Uni. – dizia Miya. – E esses que você machucou, são os meus amigos!
Os outros se levantam e param do lado dela. De dentro da nave, uma luz cai sobre os 4 terráqueos que esticam suas mãos e os UniChangers são transferidos pros seus pulsos uma vez mais.
- Vocês estão prontos? – perguntava Miya no que todos assentem. Miya mostra sua chave. – Seiun Key...
- ... Start Henshin!!!! – diziam todos em uníssono.

VENUS SATURN JUPITER MERCURY MARS – 
– LAUNCH – 

Um brilho os envolve, ao fundo aparece o universo, o corpo de cada um deles brilha intensamente, desse brilho surge um uniforme, que se completa com o capacete em suas cabeças.
- O Guerreiro Explosivo! - diz SeiunMars jogando o tronco pro lado direito enquanto levava o braço esquerdo por cima da cabeça e levando o punho direito pra frente no que a imagem do planeta Marte aparecia no fundo – SeiunMars!
- O Guerreiro Magnetizante! – diz SeiunSaturn batendo com as duas mãos na sua frente e então posicionando a direita ao lado da cabeça e a esquerda na frente, ambas com o punho aberto como se fossem garras, enquanto a imagem do planeta Saturno aparecia no fundo – SeiunSaturn!
- A Guerreira Brilhante! – diz SeiunMercury rodopiando como se segurasse um véu e então jogando as pernas cada uma para um lado, levando uma das mãos pra cima enquanto a outra se posicionava na cintura enquanto a imagem do planeta Mercúrio aparecia no fundo – SeiunMercury!
- O Guerreiro Turbulento! – diz SeiunJupiter jogando sua perna direito para trás de forma a se cruzar com a esquerda. Ele joga os braços pro lado esquerdo, se levanta jogando o torso para a direita e posicionando o braço direito como se fizesse um muque enquanto a imagem do planeta Júpiter aparecia no fundo – SeiunJupiter!
- A Guerreira da Alvorada! – diz SeiunVenus fazendo movimentos com as mãos na frente da cabeça. Ela desliza a perna direita para trás como num passo de tango joga o braço esquerdo para cima. Em seguida o move rapidamente para o lado enquanto o direito vai pra frente no que a imagem do planeta Vênus aparecia no fundo – SeiunVenus!
- Os guerreiros nascidos das galáxias! Seiun Sentai... - diz Seiun Venus.
- UNIRANGER!! – diziam os cinco em uníssono enquanto uma explosão ocorria atrás e o símbolo de um planeta surgia ao fundo.
- Uniranger? – diz Kororu. – Isso não importa! Se acham que nos selarão novamente, estão muito enganados! Dollers!
O vilão ordena um ataque direto dos seus soldados aos nossos heróis que logo se veem cercados. Um grupo de soldados cercavam SeiunMercury que simplesmente começa a girar tão rápido e acumulando poder que logo parecia ter se tornado um poderoso furacão.
- Mercury Twister!!! – ela dizia desferindo um poderoso furacão que manda os Dollers para longe. – Gostaram disso?
Seiun Saturn já dava um salto poderoso no ar posicionando sua mão direita de forma a fechar o punho.
- Saturn Great Impact!! – ele dizia utilizando toda sua força num único soco contra o chão criando uma abertura na direção de outros Dollers.
Seiun Jupiter socava alguns soldados à sua volta. Ele parecia proteger alguns civis pedindo que os mesmos fugissem para um local seguro e, em seguida, cria um par de luvas cristalizadas em suas mãos.
- Jupiter Lightning Punch!! – ele anunciava desferindo poderosos socos contra os vilões.
Não muito distante, SeiunVenus também se via cercada de alguns soldados. Ela caminhava lentamente no que os Dollers a seguiam e então ela decide saltar. Ela então desce em alta velocidade na direção dos soldados.
- Venus Final Kick!!! – ela dizia acertando os dez que a enfrentavam com um poderoso chute.
Uma forte explosão acontece culminando na derrota dos Soldados Dollers. Kororu olhava aquilo impressionado. Ele não podia acreditar na força dos guerreiros diante deles. Seiun Mars parte com tudo pra cima do vilão que parecia lutar em pé de igualdade, diferentemente de antes que conseguia ver os movimentos do herói com tranquilidade.
- O que foi? – provocava SeiunMars. – Pra onde foi todo aquele ar de superioridade?
- Ora, não seja impetulante! – dizia Kororu. – Vocês não são nada!
O vilão estica sua arma pra cima e então vários raios caem sob os cinco Unirangers que são levados ao chão em meio às pequenas explosões que ocorriam. 
- Será um prazer acabar com vocês! – dizia o vilão preparando-se para um ataque certeiro quando o céu se escurece e o rosto daquela que parecia ser a Imperatriz surge.
- Kororu! – dizia a imagem da vilã. – Volte!
- Mas, minha Imperatriz...! – protestava o vilão.
- Obedeça-me! – ela ordenava com um tom apavorante.
- Como desejar... – diz o vilão abaixando a cabeça e virando-se para os nossos heróis em seguida. – Isso ainda não acabou, ouviram bem?!
Os olhos do vilão brilham intensamente e então ele desaparece. Os Unirangers se desarmavam aliviados. No castelo Brazidoran, Kororu se aproximava do salão principal.
- Imperatriz Diiruma, eu estava prestes a dar um fim naqueles...
- Você acabou de despertar, Kororu. – interrompia a vilã. – Ainda não recuperou seus poderes completamente. Esses tais Unirangers não sairão impunes, mas no momento temos de mudar nossa estratégia.
- Como desejar, minha Imperatriz. – ele abaixava a cabeça em devoção.
Passado todo o pavor e o clamor da batalha, os Unirangers retornam para a SeiunShip de forma a comemorar. Todos estavam contentes, celebrando com bebidas e salgados.
- Hm? – Yuusuke estranhava. – Onde está Miya?
No que Yuusuke comenta, Miya aparece, agora vestida com trajes comuns a eles. Miya agora vestia uma blusa de malha branca, uma camisa social em tom beje por cima, shorts jeans na cor preta, um par de meias arrastão marrom e botas de couro. Ela fica parada um tanto sem graça com o olhar de todos.
- O-O que foi? – ela perguntava corada. – Não ficou bom?
- Ficou muito fofa! – dizia Ino se aproximando. – Combinou muito com você!
- Está parecendo uma de nós agora. – comentava Takato sorrindo.
- Isso quer dizer o que estou pensando? – perguntava Kenshin. – Você...
- Sim, vocês me ajudaram quando precisei. – ela dizia. – Agora nada mais justo que eu fique e ajude vocês. Vamos derrotar juntos esse tal Império Brazillo.
Aquilo deixava todos muito felizes. A comemoração continuava. Yuusuke não dizia nada, ele apenas olhava os outros com Miya. Na verdade, parecia que ele não conseguia tirar os olhos da alienígena.
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
- Olá! Pelo visto continuaremos na Terra, então vamos continuar com o nosso quis?  – dizia o robô. –  No episódio de hoje a Srta.Miya disse o seguinte a Yuusuke! – ele apontava para o telão.
- Bom, minha família é descendente de Venusianos. Pensei em procurar familiares lá.
- Ohhh... Demais!!! Me leva, por favor!
- Err... Acho melhor não! Não possuo traje especial e você provavelmente não sobreviveria à atmosfera do planeta Venus.
- Nossa pergunta de hoje é sobre essa afirmação dela: está correta ou errada? Os terráqueos seriam capazes de viver em Vênus ou não? A resposta vem logo após o encerramento!

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: Está correta. Os humanos não conseguiriam viver no planeta Vênus  Além de sua atmosfera ser muito densa, possui um clima de calor quase infernal. A temperatura do planeta é de quase 465º C! Além disso, a gravidade do planeta é quase 91% da gravidade da Terra! O ar em Vênus é tão espesso que movimentos rápidos seriam impossíveis, seria como se estivesse sempre andando na água. A pressão atmosférica de Vênus é de 92 bar enquanto que a da Terra é de apenas 1 bar, ou seja, seria o mesmo que mergulhar mais de 914 metros no oceano. Além de tudo isso, na alta atmosfera de Vênus, os ventos viajam a uma velocidade de até 400 km/h! Ou seja, se algum dia vocês tiverem a oportunidade de viajar para o espaço, não vão para Vênus, ok pessoal?
- Credo... – dizia Yuusuke se aproximando de Krinus. – E eu achando que ela tinha me dado um fora... Devia saber, essa garota tá na minha! – ele se encostava nos ombros de Krinus que apenas levava a mão ao rosto. – Fiquem de olho no que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!
É o dia dos pais, todos comemoram alegremente, menos Ino, um monstro do Império Brazillo ataca os pais de toda a cidade, deixando Ino completamente irritada, por que será? Launch 4 – Vindo do Futuro!

Imperatriz Diiruma
Rei Ika
General Kororu
Duende Feiticeiro Ruu
 
Soldados Dollers