Projeto Armor Hero Em Andamento.

Episódios 32 de 52 Adicionados.

O PLANET CAST ESTA DE VOLTA

Edição 17 - Space Squad!!

U-CAST Nº 19 KAMEN RIDER AMAZON 1ª TEMPORADA!!!

Vamos falar de Kamen Rider Amazon junto com nossos parceiros.

RADIO TOKUMUSIC DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD!!!

As programações da Radio Tokumusic PlanetSatsus está disponivel para Download! Baixe nossas Programações!!!

Fan Fic Cast

Curta nossa nova página

sábado, 14 de outubro de 2017

Minhas experiencia como Fansuber de Tokusatsus


Olá galerinha!

Aqui quem vos fala é o Black Condor. Vim contar um pouco da minha experiência como fansuber já que não pude participar do cast realizado domingo passado pelos companheiros de equipe. Pois bem, vamos direto ao ponto rsrs

Pessoal eu comecei essa vida de fansuber lá em meados de 2008 ainda no antigo orkut quando alguns amigos me convidaram para ajudar com meus conhecimentos em tokus, ajudar com os links e traduzir algumas legendas em inglês de algumas séries e foi então que fui escolhido para ser membro do meu primeiro fansub oficial chamado de Drangonsubs, cujo meu primeiro projeto foi Gransazers que na época estava em lançamento nos fansubs ingleses e me lembro da dificuldade que foi porque naquele tempo eu usava o Subtitle Workshop que é bastante complicado em alguns momentos.

Confesso que passei muitas dificuldades com o fechamento do fansub por problemas tecnicos e pessoais do dono da página e também de ficar tentando abrir um fansub próprio o que é uma coisa bastante complicada por conta dos muitos recursos que se tem que administrar. Passei um tempo fazendo projetos independentes até que conheci o Gilson aqui do PlanetSatsus que me convidou para a equipe e hoje como membro fixo deste fansub gigantesco posso dizer que sou feliz pela minha trajetória aqui de altos e baixos por causa da depressão forte que venho passando, mas graças a Deus e a alegria que levo a vocês através dos projetos estou lutando e cada vez mais com vontade de vencer porque sei que não só vocês mas os filhos de vocês e outras gerações poderão sentir a alegria de ser criança passada pelos tokus que ajudei a levar a todos os corações. Obrigado a Deus, ao Gilson, ao Rodrigo Pereira e a toda equipe do Planetsatsus por me acolherem aqui e fazerem de mim um fansuber feliz :]

VIVA AOS TOKUS!!!!!!!!!!

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Trilha Sonora Uchuu Keiji Sharivan


Fala galerinha do grupo Planet Satsus. A quanto tempo eu não posto nada por aqui.

Bom, nossa semana só ta começando e nada melhor do que começar a semana com muita musica. Trago a vocês uma das trilhas sonoras mais fodas(na minha opinião) do universo Tokusatsu. Uchuu Keiji Sharivan trilha completa.

Vamos começar a semana ao som da série mais épica da trilogia dos policiais do espaço.

Fiquem com Deus e até a próxima.


Download

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 11


Data Timming... Inciando transmissão...
Os Uniranger recebem um pedido de socorro vindo do espaço. O pedido é enviado pela mãe de Ino que havia reconstruído a máquina do tempo para voltar à sua época e poder encontrar o paradeiro de Rion, o policial espacial do futuro. No entanto, a Dra.Konami acabou sendo sequestrada junto com um jovem que ela mesma resgatara do espaço. O sequestrador é o Caçador Espacial Hellmer, um terrível bandido que rouba e sequestra aqueles que considera mais fraco e usa como escravos em sua nave. Eles escapam e retornam à Terra onde Miya acaba tendo uma surpresa.
Data Timming... Fim da transmissão...

- Obrigado por me receberem. – o alien dizia. – Eu sou...
Antes que pudesse completar a frase, um barulho atrás deles chamava a atenção de todos. Era Miya que havia entrado com Krinus e deixado cair uma bandeija de metal que carregava um bolo. Ela não conseguia acreditar no que via.
- Ki-Kiriba... – dizia a Uniana tremendo de nervoso. – É você mesmo?
- Vocês se conhecem...? – dizia Yuusuke um tanto surpreso.
Miya corre na direção do alien com cara de morcego e o abraça forte. Todos ficam surpresos, Miya nunca demonstrara um gesto de afeto como aquele. Yuusuke em especial sentia-se incomodado com aquilo.
- Pensei que nunca mais iria ve-lo! – ela dizia aliviada. O alien a olhava como se não a reconhecesse. – Sou eu, Miya!
- Miya?! – ele olhava para Krinus que assentia com a cabeça. – Eu quase não sobrevivi ao ataque dos Terroristas Espaciais.
- Você está bem?! – ela o olhava enquanto segurava suas mãos com força. – E-Eu quero saber de tudo!
- Claro, mas primeiro deixe eu me situar, pode ser? – Kiriba olhava em volta da nave. – Nossa, nunca pensei que entraria aqui de novo.
Kiriba se aproximava de Krinus o olhando com um sorriso. Ele ficava feliz em ver o robô novamente. Miya se aproxima e agarra o braço do alien. Yuusuke observava aquilo não gostando nem um pouco. Os outros pareciam entretidos com o alien e a Dra.Konami.
  
Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw


Launch 11 – O rapaz que veio de Plutão

- Oi, Kiriba, certo? – perguntava Kenshin. – Desculpa perguntar, mas... Como você e Miya se conhecem?
- Nós somos do mesmo planeta. – respondia o alien morcego enquanto recebia os cuidados de Miya.
Os outros Uniranger e a Dra.Konami olhavam para o rapaz e depois para Miya. Eles olhavam espantados. Miya dava uma risada de leve.
- Vocês se esquecem de que eu usei o sistema de transformação genética da nave? – indagava a uniana.
- Sim, mas Miya-chan... – dizia Kenshin espantado. – Você não se parece em nada com ele.
- Isso é porque os Unianos são todos vindos de raças de diferentes planetas. Eu, por exemplo, sou descendente dos povos vindos de Plutão. Já a Miya é decendente de Venusianos.
- Heh?!!!! – diziam todos em uníssono e espantados.
- Isso mesmo. Nosso planeta era uma colônia criada por seres de outros planetas.
- Hm... – Takato ficava pensativo. – Acho que faz sentido você se tornar a SeiunVenus então...
- Como é? – Kiriba se via surpreso. Ele olha para Miya. – Você se tornou uma Uniranger?
- Sim! – Miya sorria ao responder.
- Você conhece a gente?! – Kenshin ficava ainda mais surpreso.
- Kiriba foi um dos Unirangers originais. – explicava Miya.
Eles ficavam surpresos a cada informação que recebiam sobre o uniano. Yuusuke não dizia nada. Ele apenas encarava Kiriba com um ar de desconfiança. Algo no alien o deixava muito incomodado. Ficava o analisando enquanto ouvia a tudo.
- Kiriba. – Miya o interrompia. – Você já está a par de tudo que aconteceu desde que fui enviada nessa nave para longe do nosso planeta. Acho que agora você nos deve uma explicação.
- Sim. – respondia o alien. – Acho que sim.
- Como você sobreviveu? O que aconteceu?
- Nós tentamos de tudo para impedir os planos dos Terroristas espaciais. – dizia Kiriba. – Mas o poder deles era terrível, Miya! Tivemos de usar tudo o que tínhamos e o resultado foi a destruição do nosso planeta.
O rapaz lamentava fechando seus olhos. Uma lágrima escorria pelo rosto do alien morcego. A lembrança dos seus companheiros caídos lhe era muito viva ainda. O planeta explodindo. Tudo, tudo era terrível em sua mente.
- Então... – Miya parecia procurar coragem para continuar. – Nem mesmo...? – ela não conseguia completar a pergunta, mas Kiriba parecia entender.
- Infelizmente. – ele respondia com pesar na voz.
Miya chorava. Yuusuke se aproxima dela e então a abraça finalmente. Os outros se aproximam e fazem o mesmo. Após um breve momento, quando a garota já parecia mais calma um pouco, ela volta para Kiriba.
- Como conseguiu? – ela continuava. – Como fez pra sobreviver?
- Isso eu não sei. – respondia ele. – Acho que... Graças aos meus poderes e à minha vontade de revê-la.
Ela sorria novamente enquanto se jogava nos braços de Kiriba. Yuusuke então entendera ali o que o incomodava. O que havia de errado. Era ele. Yuusuke percebera que Kiriba era o antigo noivo de Miya. O rapaz olhava triste para aquilo percebendo que não haveria chance alguma com Miya agora.
- Mas, como foi parar na nave do Caçador Espacial? – Miya voltava a perguntar.
- Isso foi culpa minha. – interrompia a mãe de Ino que não largava a filha um segundo. – Eu deveria ter retornado para o último lugar onde a energia de Rion era mostrada. Eu achei que voltaria para a Terra no meu tempo, eu voltei pro meu tempo, mas ao invés da Terra fui parar no espaço. Foi quando vi Kiriba flutuando no espaço com uma espécie de energia roxeada em volta. O resgatei, mas logo em seguida fomos atacados e levados por Hellmer.
- Quando eu acordei, a doutora me explicou o que aconteceu e quando eu ouvi falar que haviam outros Uniranger fiz de tudo pra ajuda-la. – explicava Kiriba. – Infelizmente não consegui ativar meu Uni-Maker. Acho que ele se foi.
- Eu posso consertá-lo. – Krinus se manifestava. O robô pega o Uni-Maker de Kiriba e sai de lá.
Os Uniranger se dispensam pela nave. Estava claro que Miya e Kiriba precisavam ficar a sós. Por mais que Yuusuke não quisesse, ele acaba fazendo o mesmo. Ino ficava com sua mãe de um lado para o outro. Takato ficava feliz em ver aquele sorriso e alegria no rosto da garota. Kenshin tentava consolar o herói vermelho enquanto que Kiriba estava no salão principal olhando imagens da Terra. Miya se aproximava dele.
- É um planeta muito bonito, não acha? – dizia Miya tocando o ombro e agarrando o braço do alien.
- Sim. Lembra muito o nosso antes da guerra contra Mono e sua gangue.
Miya notara que seu antigo noivo parecia um pouco incomodado.
- O que houve? – ela perguntava.
- Como assim? – ele dizia de volta.
- Está um tanto estranho. Como se algo o incomodasse... Sou eu?
- Bem, você está diferente. – o alien finalmente soltava. – Parece íntima desses terráqueos. Até mesmo mudou sua aparência.
- Bom, eu fiz o que foi preciso pra sobreviver aqui. – Miya respondia. – Não me acha mais bonita agora que mudei?
- Não. – o alien dizia de repente assustando Miya. – Não foi isso que quis dizer. – ele a via respirar aliviada. – Você vai ser sempre a Miya. Eu... Só preciso processar tudo isso antes, é informação demais, entende.
- Acho que sim. – ela dizia um tanto triste.
O momento deles é interrompido quando o alarme tocava. Os nossos heróis adentram o salão principal e Miya apertava algumas teclas que faziam com que o visor mudasse a imagem e mostrasse algo caindo dos céus a toda velocidade.
- Um meteoro?! – dizia Yuusuke tentando ignorar a presença de Kiriba.
- Seja o que for, não parece coisa boa. – comentava Kenshin.
- Temos que ir e verificar. – Miya respondia. – Estão prontos?
- Eu temia que fosse dizer isso... – Takato descontente.
Os nossos heróis se preparavam quando Kiriba também se manifestava em querer ir com eles. Miya o interrompe.
- Onde está indo? – ela perguntava.
- Como assim? – Kiriba ficava confuso. – Eu vou com vocês. Se for algo perigoso, eu...
- Acho que é melhor que fique. Você ainda está se recuperando e Krinus ainda está consertando seu Uni-Maker.
- Mas, eu... – Kiriba parecia chateado.
- Por favor.
Ele acaba aceitando ao ver o olhar de Miya. O mesmo olhar de quando os dois viviam no planeta Uni. Yuusuke mal podia conter o sorriso ao ver a chateação do alien. Enquanto eles iam para o local, o que parecia um meteoro na verdade era a nave do Caçador Espacial que chegava à terra.
- Então foi para cá que trouxeram os meus escravos... – dizia o vilão empurrando um soldado Boser. – Planetinha mais precário... Muito bem, agora, onde eles estarão escondidos?
Hellmer mal precisara procurar. Ele vê os Unirangers aproximando-se e parecia feliz com aquilo. O vilão salta para fora de sua nave e para diante deles que já estavam transformados.
- Vejo que trouxe amigos, azulzinha. – dizia o vilão.
- Hellmer... – diz ela irritada.
- Então esse carinha aí é o tal Caçador Espacial? – SeiunMars o olhava. – Heh, legal! Quero ver se ele é tão perigoso assim.
- Yuusuke, não vá fazer nenhuma bobagem. – alertava SeiunVenus. – Ele parece perigoso.
- Oh... Hahahahahah! Pode ter certeza, amarelinha. – dizia Hellmer. – Certamente não sou alguém com quem vai querer se meter. Oh, espere um pouco. – o vilão se fazia de pensativo. – Vocês já fizeram!
Hellmer se move rapidamente indo na direção dos nossos heróis. Ele os ataca como se fosse um vulto e os atinge sem que vissem o que os atingiu. Os Uniranger são jogados no chão. Eles se levantavam e eram atacados novamente, sem conseguir enxergar de onde vinha o ataque exatamente. Observando à luta, Kiriba batia no painel, inconformado por não poder lutar.
- Droga... – o uniano dizia. – Hellmer é rápido demais pra eles!
- Kiriba, tenha fé. – dizia a doutora tocando o ombro do jovem alien. – Eles vão conseguir.
- Fé? – ele indagava. – Vocês terráqueos tem umas coisas que eu não entendo. – ele fechava os olhos. – Droga, Krinus... Porque não termina meu Uni-Maker logo?
De volta à luta, Hellmer parecia bastante contente com o que via diante dele. Os Uniranger se levantavam uma vez mais, mesmo que feridos com os ataques.
- Hahahahahaha, entreguem-se a mim e tornem-se meus escravos, é a única forma de sobreviverem!
- Jamais... – dizia SeiunMars se levantando com dificuldade. – Eu ainda não acabei com você...
Hellmer aparece de repente na frente do herói e o puxa com sua espada. Era uma espada de ferro com adornos ponteagudos, como se fossem chamas. O vilão o encara sorrindo.
- E o que acha que é capaz de fazer nesse estado?
- Muita coisa... – SeiunMars não tirava os olhos de Hellmer. – Como isso!
O herói o pega desprevenido finalmente e o acerta com sua Mars Blazer em Gun Mode. Hellmer se afasta surpreendido pelo ataque e então o herói muda a Mars Blazer para a Blade Mode e parte pra cima do vilão que defendia os ataques com sua arma. Eles duelam por algum tempo.
- Mars Dynamic Slash!!! – dizia Seiun Mars armando seu ataque.
Utilizando a Mars Blazer em Blade Mode, nosso herói faz um circulo de energia simbolizando o planeta. Em seguida, ele o corta na diagonal, formando o anel e lançando o poder contra o vilão que o segura com a espada e o empurra de volta a SeiunMars. O herói vermelho é lançado de volta para os seus companheiros.
- Yuusuke!!! – dizia SeiunMercury aproximando-se dele. – Você está bem?
SeiunMars não conseguia dizer nada. Ele sentia muita dor e lhe faltava folego. Os outros Uniranger não sabiam ao certo o que fazer. Eles se viam sem saída. Hellmer ria sadicamente de tudo aquilo.
- Uma pena, vocês seriam ótimos escravos, mas infelizmente não me dão outra escolha senão acabar com vocês aqui e agora... – dizia o vilão preparando-se para o ataque final.
Hellmer atacava os nossos heróis quando é surpreendido por um ataque vindo de trás. Era Kiriba que chegava de repente segurando uma Seiun Laser.
- Você? – Hellmer não parecia impressionado.
- Kiriba, o que faz aqui? – perguntava SeiunVenus preocupada. – É perigoso!
- Você já se esqueceu? – perguntava o jovem alien para sua amada. – Eu não sou de fugir. E outra coisa... – ele erguia o pulso mostrando um bracelete diferente dos Uni-Makers dos outros. – Krinus consertou e melhorou meu Uni-Maker.
O bracelete de Kiriba agora lembrava um scanner de dedo dourado com uma pulseira que o prendia em seu pulso. Ele abre um sorriso em seu rosto e pressiona um botão abaixo do scanner.

- Ready to Launch -
- SeiunScanner! – ele dizia. – Start Henshin!
- PLUTO -
- LAUNCH -  

Kiriba encaixa o dedão no scanner que brilha em um tom púrpura. Um brilho o envolve, ao fundo aparece o universo, o corpo de Kiriba brilha intensamente, desse brilho surge um uniforme roxo, que se completa com o capacete em sua cabeça e a imagem de uma estrela dourada caindo que se fixa em seu ombro e lhe atravessa o peitoral.
- O guerreiro do tempo! - diz o roxo movimentando seus braços como se fossem ponteiros de relogio – SeiunPluto!
- Idiota, porque acha que conseguirá alguma coisa diferente se cinco deles não conseguiram?
- Porque eu sou um dos originais... – respondia ele provocando o vilão.
- Idiota, eu não tenho tempo para lidar com um escravo morto... – respondia Hellmer virando-se para os Bosers que estavam com ele. – Bosers, cuidem desse infeliz!
Os soldados robôs partem pra cima do novo herói o cercando. O herói usa sua SeiunLaser contra eles que vão ao chão. Mais Bosers apareciam enquanto Hellmer caminhava novamente na direção dos nossos heróis. SeiunPluto ativa sua arma pessoal, duas adagas de cor roxa.
- Pluto Daggers!  – dizia SeiunPluto – Pluto Freezing Time!  – ele trava as duas adagas embaixo no que formava um círculo. A imagem de um relógio surgia e então SeiunPluto começa a mover as adagas como se fossem um ponteiro. As duas se encontram no topo seguidas de um brilho púrpura.
Os Bosers se viam presos ali. Eles tentavam se mover, mas era inútil. Era quase como se estivessem paralisados realmente. Hellmer para impressionado com aquele ataque e então decide partir pra cima do novo herói destruindo os Bosers paralisados. SeiunPluto se defendia dos ataques usando as Pluto Daggers. Ele então encaixa as duas adagas formando uma arma nova como se fosse uma lança de duas pontas e vira o jogo, passando a atacar o vilão. Os Uniranger olhavam aquilo impressionados.
- Uau! – SeiunSaturn parecia maravilhado. – Kiriba é mesmo incrível!
- Ele era o segundo no comando dos Unirangers Originais. – explicava SeiunVenus. – Sempre foi um incrível lutador.
- O segundo é? – dizia SeiunMars com um pouco de deboche e ciúmes. – Posso fazer melhor que ele.
- Não pode não. – retrucava SeiunSaturn.
O herói de vermelho olhava torto para Saturn que simplesmente não dava a mínima. Ele só queria continuar vendo a luta. SeiunPluto e Hellmer disputavam forças enquanto se encaravam. Hellmer percebe o quão forte era SeiunPluto com seus poderes renovados quando o herói finalmente ganha a disputa de forças e o atinge com as armas.
- M-Mas como?! – o vilão ficava surpreso. – Como é possível?!
- Hellmer, você já fez muito mal aos seres de todo o universo! – diz o herói o atingindo novamente. Ele chega pra trás. – Muito mal à Dra.Konami! – o atinge novamente. Mais uma vez, o vilão se afastava. – Muito mal a mim!
A cada golpe novo que o vilão recebia, se afastava ainda mais. A raiva que Kiriba sentia de Hellmer era tão grande que o morcego alien não medira sua força. Ele então salta no ar preparando-se para um ataque mais poderoso.
- Pluto Big Impact! – diz ele caindo na direção do vilão atingindo o chão com um soco que abre uma pequena cratera. O impacto faz com que o vilão voasse pra trás.
Hellmer se choca contra a própria nave caindo no chão. Ele cospia uma gosma esverdeada como se fosse seu sangue.
- Tenho que te parabenizar, Roxinho. – dizia o vilão sem perder a pose. – Conseguiu me machucar, poucos conseguiram isso até hoje.
- Isso ainda não acabou! – dizia Seiun Pluto.
- Oh, mas você está certíssimo. – o vilão o cortava segurando o ferimento em sua barriga. – Ainda vamos acertar os nossos ponteiros. Pode ter certeza.
O herói ameaça ir pra cima do vilão, mas Hellmer é mais rápido e entra na nave a ligando e sumindo diante deles. Kiriba se vira desfazendo a transformação e caminhando em direção aos outros que também desfazem a transformação.
- Você está bem? – dizia ele parando na frente de Miya e dando a mão para ajuda-la a se levantar.
- Sim. – ela respondia com dificuldade enquanto se levantava com a ajuda do alien morcego.
- É... – Yuusuke cortava o momento. – Nós também estamos, obrigado por perguntar!
Enquanto os heróis voltavam para a nave, Hellmer era cuidado por alguns Bosers. Ele não podia acreditar que havia sido derrotado por Kiriba. Ele fechava o punho e socava a mesa ao lado de tanta indignação.
- Maldito! – ele dizia enquanto socava a mesa. – Maldito Uniranger roxo! Ele vai me pagar, acabarei com ele e com todos os seus amiguinhos! Se acham que irão rir de mim, o grande Caçador Espacial Hellmer, estão muito enganados!
- Bom, então talvez possamos nos ajudar. – dizia uma voz vinda de um canto escuro.
Hellmer dava um pulo da cadeira de tanta surpresa. Ele puxa sua espada ameaçando quem quer que estivesse em sua nave. Do canto escuro saia Kororu.
- Quem é você?! – dizia o caçador. – Como entrou em minha nave?
- Isso é jeito de se tratar um amigo? – questionava o vilão do Império Brazillo.
- Amigo? Não somos amigos! – Hellmer apontava sua espada a encostando no pescoço de Kororu.
O vilão não dizia nada. Ele passa o dedo indicador pela lâmina da espada de Hellmer enquanto se afastava um pouco para trás e parava o dedo na ponta.
- Sou o general do Império Brazillo. – respondia ele.
- Império Brazillo? – Hellmer tentava puxar pela memória. – Nunca ouvi falar. O que quer afinal? Me diga antes que o mate!
- Nós vimos o que fez lá. – dizia Kororu referindo-se à luta contra os Uniranger. – Nós do Império Brazillo também odiamos os Uniranger. Eles vem sendo uma pedra em nosso sapato desde que despertamos de nossa maldição.
- Hm... Linda história... – o caçador dizia de forma sarcástica. – Mas o que eu tenho com isso?
- Você é um forte guerreiro. Quase os destruiu. – elogiava Kororu. – Gostaríamos que nos ajudasse a acabar com eles de uma vez por todas!
- Você mesmo disse. Eu quase os destruí. Certamente da próxima conseguirei. – respondia Hellmer olhando o próprio punho fechado. – Só preciso cuidar daquele SeiunPluto.
- Nós podemos lhe ajudar com isso. – interrompia Kororu. – Temos recursos, e então, o que me diz?
Kororu estendia o braço querendo selar um acordo. Hellmer o olhava desconfiado, mas acaba soltando um suspiro e então sela o acordo com um aperto de mãos.
- Vocês me ajudam a acabar com os Uniranger... – dizia o caçador. – E eu deixo a Terra livre pra vocês.
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
- Olá! O que acharam do episódio de hoje? A Srta.Miya parece muito feliz com a volta de Kiriba, certamente foi uma grande surpresa pra todos! – dizia o robô. - Hoje vamos falar um pouco sobre seu planeta representante. – Ele apontava para o telão que mostrava uma imagem do planeta Plutão. - Não faz muito tempo, foram descobertas mais duas luas em Plutão. Qual é o nome delas e quando foram dados esses nomes?

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: Styx e Kerberos. Amas são bem menores que as demais luas de Plutão, com diametros entre 10 e 12 quilometros. As duas luas quase foram chamadas de Vulcan e Romulus, indicações do ator William Shatner, que vocês terraqueos conhecem como Capitão Kirk de uma tal série chamada Jornada nas Estrelas. Mas os nomes foram descartados e, em 2013, as luas ganharam seus nomes.Por hoje é só, mas fiquem aí e vejam o que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!
Não aguentando ver Miya triste pelas duras palavras de Kiriba, Yuusuke decide ir atrás dele e convencê-lo de que os humanos tem seu valor e que mudanças às vezes podem trazer coisas boas. Os dois acabam tendo que lutar juntos contra o Caçador Espacial Hellmer e o novo TechnoMonstro. Launch 12 – Cuidado! Yuusuke e Kiriba em perigo

Kiriba
Hellmer
Seiun Pluto


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 10


Data Timming... Inciando transmissão...
Ino decide confessar seus sentimentos por Yuusuke, mas o rapaz aparece ao lado de Miya e pede que Ino mostre a ela de verdade como é um Shopping. Contrariada, Ino passeia pelo Shopping no centro da cidade com Miya que tenta conversar a respeito. A Imperatriz Diiruma se aproveita da ocasião para atraí-las a uma armadilha e as duas são aprisionadas em um lugar repleto de espelhos pela TechnoMonstro Makeappu. Elas são salvas por Seiun Mars e ambas derrotam a vilã.
Data Timming... Fim da transmissão...

As coisas haviam começado nada bem para os nossos heróis naquela manhã. A cidade havia sido atacada por Kororu e os soldados Dollers. Os Unirangers aparecem transformados e prontos para enfrenta-lo. Eles trocavam golpes básicos contra os soldados enquanto Seiun Mars partia pra cima do general do Império Brazillo.
- Fico realmente contente que tenham aparecido, Seiun Mars! – diz o vilão. – Eu queria mesmo enfrenta-los uma vez mais.
- Não pense que será como da última vez, Kororu! Vamos começar acabando com você aqui mesmo! – dizia SeiunMars.
- Insolente! – Kororu se enfezava. – Farei com que coma a própria língua!
Kororu empurra SeiunMars para trás e parte pra cima com sua espada. O herói do planeta Marte invoca sua arma, a Mars Blazer e começa a disparar contra o vilão que rebate os ataques com sua espada enquanto ia pra cima dele. Seiun Mars coloca sua arma em Blade Mode e os dois começam a duelar. Seiun Venus acertava alguns Dollers com socos e chutes enquanto via aquilo.
- O que esse idiota está fazendo? – indagava a heroína.
- Esse é o Yuusuke, não consegue levar nada a sério. – respondia SeiunSaturn.
- Unirangers... Chamando Unirangers... – dizia a voz de Krinus saindo no Uni-Maker em seus pulsos.
- O que foi, Krinus? – perguntava SeiunJupiter enquanto acertava um Doller bem no estomago. – Estamos meio ocupados aqui.
- Vocês precisam voltar urgente! – dizia o robô. – É de extrema importância!
Os heróis estranham aquilo, afinal, o que poderia ser mais importante do que impedir o ataque de Brazillo no momento? Mesmo não concordando muito, os heróis abandonam a luta e retornam para a UniShip.
- O que é tão urgente assim? – indagava Yuusuke. – Eu estava para acabar com Kororu!
- Não se preocupe, Sr.Yuusuke. – tranquilizava Krinus. – O senhor poderá apanhar de Kororu de novo.
- Ei! – Yuusuke dizia incomodado com as palavras do robô. – Eu não estava apanhando, no máximo estávamos pau a pau, ok?
- Por favor, Krinus. – interrompia Miya. – O que houve de tão importante assim?
- Uma mensagem vinda do espaço, Srta.Miya. – respondia o robô virando-se para Ino em seguida. – Uma mensagem de sua mãe, Srta.Ino.
- M-Minha mãe? – Ino dizia sem conseguir acreditar.
   
Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw


Launch 10 – O pedido vindo do espaço

- Essa é uma mensagem minha para os salvadores de todo o universo, o Seiun Sentai Uniranger. – dizia a mãe de Ino através de uma vídeo-mensagem. A mãe de Ino era linda. De cabelos longos e lisos, castanhos escuro. Mal parecia ter envelhecido. Ela usava uma roupa toda preta e parecia bastante suja e ferida. – Fui aprisionada por um Caçador Espacial chamado Hellmer. Ele mantém a mim e mais alguns presos como seus escravos. Por favor, nos salvem! Por favor!
- Doutora... – uma voz de fundo e um pouco falha a alertava. – Eles estão chegando, temos de ir!
- Ino, minha filha, por favor! – ela dizia um segundo antes da mensagem se encerrar.
- Mamãe! – Ino dizia desesperada tocando o telão da nave. Ela chorava.
- Calma, Ino-chan. – diz Yuusuke tocando o ombro da amiga. – O mais importante é que agora sabemos que sua mãe conseguiu voltar.
- Isso mesmo. – dizia Kenshin tentando confortá-la também. – Vamos salvá-la.
- Krinus, consegue descobrir de onde veio a mensagem? – perguntava Miya.
- Eu já fiz isso, Srta.Miya. – diz o robô. – Ela veio do planeta Saffar, localizado em M31.
- M31? – indagava Yuusuke. - O que estamos esperando então? Bora nessa!
- Não é bem assim, Yuusuke. – cortava Miya. – O Império Brazillo vai se aproveitar da situação para dominar a Terra se formos todos.
- O que sugere então? – ele perguntava. – Que fiquemos aqui?
-Vamos nos dividir. – sugeria Ino. – Eu e mais alguém vamos, o restante fica aqui protegendo a Terra.
- Hm... Essa é uma boa ideia, realmente. – Miya dizia com a mão no queixo.
- Beleza, eu vou com você então Ino-chan.
- Não acho que isso seja uma boa ideia. – retrucava a Uniana imediatamente.
- O quê? – Yuusuke ficava indignado. – Mas, porquê?
- Você é indisciplinado e pode por tudo a perder querendo resolver as coisas no braço. – ela o respondia.
- Sua sinceridade é impressionante... – ele comentava chateado. – Mas isso não passa de bobagem! Eu vou me comportar! Diga a eles, Kenshin!
- Er... Desculpa, Yuusuke-kun. – Kenshin dizia. – Mas eu concordo com eles nessa.
- Quê?! –Yuusuke era pego de surpresa. – Até tu, brutus?!
- Eu vou. – dizia Takato.
- Sério mesmo? – Ino perguntava surpresa.
- Sim. Quando eu cheguei à cidade e entrei pra banda, sua mãe foi a primeira a me acolher e me dar uma força, Ino. – Takato explicava. – Eu devo muito a ela.
- Ta-Takato-kun... – Ino não podia acreditar naquilo. – Eu não fazia ideia.
- Fala aí, você só quer salvar a mãe da Ino porque ela é lindona, né não? – Yuusuke cutucava Takato e falava baixinho. – Danadão!
- UMA COISA NÃO TEM NADA A VER COM A OUTRA! – Takato gritava enfezado com o herói. – NÃO DIGA BESTEIRAS!
- Caham! – pigarreava o robô imitando os humanos quando queriam chamar a atenção, o que deixava os dois espantados. – Sr.Takato, Srta.Ino, me acompanhem.
Os dois vestem trajes espaciais preparados para a viagem. Eles então se despedem dos outros e adentram seus mechas.
- Agora lembrem-se. – dizia Miya pelo comunicador dos mechas. – Essa é uma missão de resgate, não tentem vencer o inimigo sozinhos. A ideia é entrarem, resgatar a Dra.Konami e voltar à Terra sem despertar a atenção do inimigo.
- Você fala como se fosse fácil. – dizia Takato acionando seu mecha.
Os dois mechas levantam voo no que a comporta da UniShip se abre. O BlackFighter estava acoplado ao Blue Craft quando os dois rumavam para fora do planeta Terra. Tudo parecia calmo no trajeto.
- Ino. – Takato dizia pelo comunicador. – Está tudo bem aí?
- Sim. – ela respondia com um tom de nervosismo. – Acho que sim.
- O que houve? Sente alguma coisa? Enjoo? Krinus disse que poderíamos sentir um pouco de enjoo.
- Não é isso. – Ino dizia. – É que tem tanto tempo que não vejo minha mãe. Eu era apenas uma garotinha.
- Heh. – Takato sorria, mesmo que Ino não pudesse ver. – Eu sei bem como é. Sinto falta da minha mãe também.
- Takato-kun. – Ino o cortava. – Será que minha mãe ainda... Ainda...? – ela perguntava não querendo concluir.
- Não se preocupe. – Takato a interrompe de imediato. – A Sra.Konami sempre foi muito forte e nunca deixou que nada a impedisse quando enfiava algo na cabeça. Ela está bem, tenho certeza disso.
- Obrigada. – Ino dava um sorriso de tranquilidade. – Muito obrigada mesmo por ter vindo comigo, Takato-kun.
- Você não tem que agradecer. – Takato dizia com um sorriso no rosto. No fundo, ele gostara de ouvir aquilo. – Pode contar sempre comigo, I-no-tcharam!
Fazia um tempo que Ino não ouvia aquilo. Takato sempre a chamava assim quando estavam os dois sozinhos, ele tentava se fazer de durão quando estava perto de Kenshin e Yuusuke, mas sempre mostrou seu verdadeiro eu para Ino quando sozinhos. Ela ficara contente que ele continuava o mesmo Takato de sempre, mesmo com tudo o que já haviam passado como Uniranger. Na UniShip, os nossos heróis pareciam nervosos. Kenshin andava de um lado para o outro.
- Será que eles vão conseguir? – ele perguntava para Yuusuke.
- Droga! – ele dizia socando o próprio punho. – Eu só queria ter ido no lugar do Takato... Ia descer a lenha nesse tal Hellmer aí.
- Vocês dois, calem a boca. – Miya estava sentada de braços cruzados. – Os dois são mais do que capazes. Vai dar tudo certo, eu confio neles. - Ela tentava esconder o nervosismo e a dúvida.
Após acelerarem a viagem, Takato e Ino finalmente chegam no planeta Saffar. Eles entram na órbita do planeta e pousam finalmente. Eles saíam dos mechas já transformados pois sabiam que era o único jeito de sobreviverem à atmosfera do planeta. Saffar parecia um grande deserto. Ao olharem em volta eles viam uma areia que mais parecia uma lava de tão quente que era. Os dois estavam quase derretendo em seus uniformes. Ao mesmo tempo, se olhassem para atrás, podiam ver uma neblina de gelo a quilômetros de distancia de onde estavam. Mais para o leste, um céu enegrecido por tempestade. Parecia uma verdadeira mistura de caos.
- Então esse é o planeta Saffar... – diz SeiunSaturn. – Tenho que admitir, ele é incrível. Você está pronta pra resgatar sua mãe?
- Sim. – SeiunMercury respondia um tanto nervosa. – Vamos lá.
Eles ameaçavam avançar quando dois monstros saiam da areia. Esses monstros pareciam usar um tipo de roupa especial que, segundo a analise mostrada nos capacetes dos nossos heróis era compatível com a temperatura e a atmosfera do planeta. As duas criaturas tinham cabeças de lagartos que podiam ser vistas pelos capacetes transparentes. Elas partem pra cima dos nossos heróis que desviam da investida.
- Esperem, nós viemos em paz! – diz SeiunSaturn tentando evitar a luta. – Não queremos briga!
- Que pena... – diz uma das criaturas olhando para a outra.
- É... Por que nós queremos! – dizia a outra partindo pra cima dos dois novamente.
Saturn e Mercury se defendem dos golpes que não pareciam cessar tão cedo. Os dois então ativam suas SeiunKen.
- Porque estão fazendo isso? – perguntava SeiunMercury enquanto segurava um dos golpes.
- O deserto escaldante de Saffar é o nosso território. – dizia um dos homens lagartos.
- Aqueles que invadem o nosso território devem morrer! – completava o outro.
- Não vão mesmo nos deixar passar sem uma briga, não é mesmo? – diz SeiunSaturn.
- Não! – respondem os dois homens lagartos em uníssono.
Vendo que não tinham para onde correr, os dois Uniranger desistem de se segurar e desferem um ataque com as SeiunKen ao mesmo tempo. Os dois seres se afastam e então Saturn surge no ar desferindo um soco duplo em ambos. Mercury aparece em seguida deslizando pela areia e segurando sua SeiunLaser. Os dois olham pra baixo e a veem. Em seguida, Mercury dispara contra eles que caem derrotados no chão.
- Se Yuusuke estivesse aqui ia dizer que os dois foram “mamão com açúcar”. – comentava Takato ao terminar de se vestir com as roupas dos lagartos. – Porque eu disse isso?
Ino ria. Os dois se sentiam mais aliviados por conseguirem respirar e não se sentirem sufocados com a temperatura daquele deserto. Eles rumam seguindo as coordenadas passadas por Krinus até finalmente verem a nave do Caçador Espacial. Era uma nave enorme. Ao adentrarem, eles avistam alguns Bosers, os mesmos soldados dos Piratas Espaciais.
- Até aqui esses caras existem? – indagava Takato. – Achei que só os Piratas Espaciais de Zugaikomen possuíam Bosers.
- Ele deve ter comprado com o mesmo fabricante. – brincava Ino tentando conter sua ansiedade.
Takato nota e então segura a mão da garota com força como quem dissesse que iria dar tudo certo. Ino entende e então abre um sorriso. Os dois apertam um botão na lateral do capacete que começa a escurecer escondendo seus rostos. Eles passam pelos Bosers ali os cumprimentando. Takato se via aliviado, ele nunca pensara que fosse ser tão fácil enganar os soldados. Os dois começam a vasculhar a nave o que levou algumas horas.
- Ei, aqui! – diz Takato chamando Ino sem chamar a atenção de outros. Ino se aproxima e vê sua mãe dentro de um quarto, presa por correntes e desmaiada no chão, toda machucada. – Sra.Konami! – Takato gritava baixo tentando chamar sua atenção. – Sra.Konami!
A doutora abre os olhos lentamente ao ouvir seu nome. Ela olha para a porta e vê um capacete camuflado.
- Não! – ela gritava desesperada. – Por favor! Me deixem em paz!
- Takato-kun. – diz Ino. – O que foi que fizeram com ela?
- Ino, calma. – Takato tentava tranquiliza-la. Ele então ativa sua SeiunKen e a desfere contra a tranca da porta que finalmente se abre.
Os dois entram e se aproximam da doutora que começa a gritar desesperada até que de repente Takato tampa sua boca com a mão.
- Sra.Konami, pare de gritar. – ele diz tirando parte da camuflagem permitindo que ela visse seu rosto. – Sou eu, Takato. – ele dizia. – A senhora se lembra de mim?
- Ta-Takato? – ela parecia puxar pela memória. – Sim! Sim! Takato! Se você está aqui então você só pode ser... – ela se virava para Ino.
A garota não aguenta e tira a camuflagem por completo. Ino chorava de felicidade em ver sua mãe. Ela a abraça forte por um momento até que Takato as lembra que precisam fugir dali o quanto antes. Os dois usam suas SeiunKen para quebrar as correntes que prendiam a doutora e então correm pra fora da prisão.
- Esperem! – a doutora dizia. – Por favor, esperem!
- Mãe, o que foi? – perguntava Ino preocupada.
- Eu preciso salvá-lo. – ela dizia não fazendo sentido algum para os dois. – Vocês precisam me ajudar!
- Salvá-lo? – indagava Ino. – De quem está falando?
- Do rapaz que me ajudou a mandar a mensagem pra vocês. – explicava a doutora. – ele está preso logo ali.
- Pensando bem, na mensagem a gente conseguiu ouvir uma outra voz realmente. – comentava Ino.
- Não há tempo pra isso. – interrompia Takato. – Nós precisamos ir antes que nos descubram.
- Takato-kun, esse rapaz ajudou minha mãe a pedir socorro. – diz Ino. – Não podemos deixa-lo aqui.
- Grr... Tá bom, mas vamos logo! – ele dizia não gostando nada daquilo.
Os três correm guiados pela Dra.Konami. Lá eles avistam alguém que não podia ser dito como um rapaz exatamente. Seu rosto era similar ao de um Morcego e levemente amarelado. O corpo era revestido por muito pelo. Estava apenas com uma calça. Abaixo dos olhos, haviam pequenos cristais de coloração roxeada. Eles quebram a tranca da porta da mesma forma que haviam feito com a doutora assustando o “rapaz”.
- Doutora? – diz ele. – O que está havendo aqui? Quem são esses?
- São aqueles de quem lhe falei. – ela dizia. – Os Uniranger.
- U-Uniranger? – diz ele parecendo contente e esperançoso.
- Vem. – dizia Ino – Vamos te tirar daqui!
Ela olha para Takato que assentia com a cabeça. Os dois então quebram as correntes que o mantinham preso e o ajudam a se levantar. Eles reparam que na lateral de seu corpo haviam marcas de queimadura e começam a imaginar que talvez tivessem lhe arrancado as asas, já que ele parecia muito com um morcego. Eles saem do quarto e caminham pelo corredor tentando não serem vistos, porém, acabam esbarrando com Bosers que os olham. Eles ficam se encarando por alguns segundos até que os Bosers finalmente os atacam. Os quatro conseguem desviar e então Takato se transforma em SeiunSaturn  e, junto com Kiriba, parte pra cima dos soldados os segurando.
- Ino! – diz o herói. – Pegue sua mãe e fuja daqui!
- Mas, Takato-kun! – dizia Ino.
- Não se preocupe! – ele a cortava. – Vá logo de uma vez!
- Por favor, venha com a gente! – dizia a doutora para o rapaz. – Você já sofreu demais!
- Está tudo bem. – diz o rapaz a olhando de canto. – Eu devia ter morrido com o meu planeta, doutora. Morrer aqui lhe ajudando será uma honra. Vá, por favor!
Ino puxava a mãe que ainda insistia com o rapaz. Os dois voltavam sua atenção para os Bosers no que o alarme da nave soava. Takato sabia que àquela altura já não havia mais escapatória e ele teria de lutar realmente. As duas saem correndo dali com Ino transformada e acertando Bosers pelo caminho. Elas finalmente conseguem sair da nave e correm o mais rápido o possível até que a heroína finalmente achava uma brecha pra conversar com sua mãe.
- Mamãe, o que houve? – ela perguntava. – Onde está Rion? Ele conseguiu? O futuro foi modificado?
- Era o que eu queria saber. – dizia a doutora. – A respeito de Rion, quero dizer. O futuro foi modificado, houve paz. Mas Rion... – a doutora hesitava. – Rion nunca retornou.
- Como é?! – Mercury ficava surpresa com aquilo. – Mas depois que ele nos ajudou ele entrou em sua nave e disse que iria voltar...
- Mas infelizmente isso nunca aconteceu. – explicava a mãe de Ino. – Rion nunca voltou. Quando percebi que ele não iria voltar, decidi recriar a máquina do tempo e retornar a essa época, a minha época. Porém, algo deu errado e eu acabei parando no espaço ao invés da Terra. Eu vi aquele rapaz flutuando em uma espécie de bolha pelo espaço e o resgatei, mas nós acabamos sendo sequestrados por Hellmer.
- Esse tal Hellmer, quem é ele? – indagava Mercury.
- Sou eu. – dizia uma voz forte e imponente.
As duas olham em direção à voz e avistam um monstro alto e musculoso. Parte de seu peitoral e o braço esquerdo eram de um esqueleto revestido por metal. O restante era vermelho com uma pelugem esverdeada. Seu rosto era apavorante e avermelhado com um moicano verde na cabeça.
- Sou o Caçador Espacial Hellmer! – ele se apresentava. – O troglodita de toda a Galáxia Andromeda! Viajo pelo Universo caçando os maiores tesouros, pego os fracos e os faço meus escravos!
- Então foi você quem sequestrou minha mãe, não foi?! – dizia Mercury indignada. – Não vou te perdoar!
- Não seja idiota, já passou da hora de criança ir dormir... – ele fazia pouco caso.
- Como é?! – ela diz partindo pra cima do vilão que se defendia dos ataques com facilidade.
- Ino! Pare com isso!
- Ouça sua mãe, garota! – diz o vilão enquanto defendia os ataques desferidos por ela. – Você não tem a menor chance contra mim! Fui criado nessas areias escaldantes, elas me alimentam e me tornam mais forte!
O vilão agarra o pescoço de SeiunMercury e então a puxa o apertando. A heroína começava a sufocar enquanto se debatia tentando livrar-se. A doutora se vê desesperada e então se joga aos pés de Hellmer.
- Por favor... – ela dizia chorando e se humilhando. – Poupe minha filha!
- Hahahahaha! – ele ria sadicamente. – Como eu gosto disso! Os fracos implorando por clemencia! Hahahahahhaha
O vilão pisa na cabeça da doutora a empurrando contra o chão. Ele ria descontroladamente ao fazer aquilo enquanto segurava o pescoço de Mercury que sentia que iria perder a consciência em breve.
- Acha mesmo que irei poupar pessoas fracas como vocês duas?! Idiota! Vão morrer as duas e será agora!!!
O vilão preparava-se quando é atingido por tiros da SeiunLaser de SeiunSaturn. O rapaz saltava mordendo a jugular de Hellmer que acaba soltando Mercury e se afastando da doutora. O vilão dá um tapa no alien morcego que cai em pé ao lado dos heróis.
- A senhora está bem, doutora? – ele perguntava à mãe de Ino.
- Ino, e você? – perguntava nosso herói para a heroína que colocava a mão na garganta.
- Malditos! – dizia o vilão. – Me pegaram desprevenido, mas isso não ficará assim! Acabarei com todos!!!
- Você tem certeza? – diz o alien morcego mostrando o que parecia ser um detonador. – Há muito tempo que planejo explodir essa sua nave desgraçada! – ele dizia com ódio. – Esse tempo todo eu plantei bombas na nave na surdina, apenas esperando o momento certo!
- C-Como é?! – dizia o vilão surpreso e temeroso.
- E então? – dizia Saturn se aproveitando da situação. – Vai nos deixar ir ou prefere ver sua nave explodindo?
- Seria vergonhoso um Caçador Espacial sem sua nave... – dizia o alien morcego.
Hellmer parecia indeciso sobre o que fazer. Ele cerrava os punhos de ódio abaixando a guarda em seguida.
- Muito bem. – dizia o vilão. – Muito bem jogado... Podem ir. – ele fazia um gesto os convidando a passar. – Vocês venceram por hora. Mas podem acreditar, eu irei atrás de vocês e os farei pagar por essa humilhação!
- Esperaremos ansiosos. – diz o alien morcego pegando a doutora pelo braço assim como SeiunSaturn fazia com SeiunMercury.
Os nossos heróis correm de lá o mais rápido que conseguiam e adentram seus mechas partindo do planeta Saffar. Horas se passaram e já era outro dia quando os nossos heróis finalmente retornam à Terra. Eles são recepcionados por Kenshin e Yuusuke que se viam felizes por vê-los novamente.
- Como estão as coisas aqui? – perguntava Takato.
- Tudo tranquilo, infelizmente. – dizia Yuusuke triste de verdade.
- O importante é que vocês retornaram com a doutora são e salvos e ainda trouxeram mais alguém. – dizia Kenshin referindo-se ao alien morcego.
- Ele ajudou minha mãe. – dizia Ino ainda com um pouco de dificuldade pelo machucado na garganta. – Não podíamos abandona-lo.
- Obrigado por me receberem. – o alien dizia. – Eu sou...
Antes que pudesse completar a frase, um barulho atrás deles chamava a atenção de todos. Era Miya que havia entrado com Krinus e deixado cair uma bandeja de metal que carregava um bolo. Ela não conseguia acreditar no que via.
- Ki-Kiriba... – dizia a Uniana tremendo de nervoso. – É você mesmo?
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
- Olá! O que acharam do episódio de hoje? Ino parece muito feliz com sua mãe de volta. – dizia o robô. - O episódio de hoje se passou em outro planeta localizado na galáxia de Andrômeda, vizinha a nós. – Ele apontava para o telão que mostrava uma imagem do planeta. - No episódio foi mostrado que o planeta Saffar possui climas variados em cantos diferentes. Isso é verdade?

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: Sim. Porém, não exatamente como mostrado. O Planeta Saffar realmente possui climas diferentes em suas extremidades, porém, eles estão ligados ao dia e à noite. Os cientistas verificaram que Upsilon Andromedae b tem diferenças de temperaturas extremamente elevadas: na face virada para o seu sol atinge 1527 graus e na face oposta a temperatura é de 123 graus negativos. Bom, por hoje é só, mas fiquem aí e vejam o que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!
Enquanto Ino se vê completa ao se reencontrar com a mãe, Miya se vê surpresa ao descobrir que Kiriba, outro Uniano e sua paixão estava vivo. Hellmer, o novo vilão, recebe a ajuda do Império Brazillo. Launch 11 – O rapaz que veio de Plutão


Caçador Espacial Hellmer
Bosers
Kiriba
Dra.Konami

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 09


Data Timming... Inciando transmissão...
Os Unirangers fazem um pique-nique no parque. Ino se vê incomodada com a repentina aproximação entre Yuusuke e Miya que é interrompida quando eles presenciam o ataque de um novo TechnoMonstro. Os cinco heróis se tornam velhos graças ao poder de filtros de imagens que Retricappu possui. Miya, por ser uma Uniana, acaba envelhecendo mais devagar e, ao receber ajuda da população, acaba conseguindo derrotar o monstro e fazer com que todos voltassem ao normal.
Data Timming... Fim da transmissão...

Ino havia levantado diferente naquela manhã. Ela liga para Yuusuke combinando de tomar café da manhã no centro da cidade. Durante todo o trajeto para o centro, Ino parecia nervosa como se unisse forças para alguma coisa. Ao descer do ônibus e caminhar em direção à lanchonete, balbuciava alguma coisa para si que ninguém mais conseguia entender.
- Você consegue. – ela dizia baixinho para si. – Você consegue.
A Uniranger olha pela vitrine da lanchonete e avista Yuusuke que estava sentado já olhando o cardápio. Por mais magro que fosse, o rapaz comia como um touro. A banda sempre brincara dizendo que seu estômago era um buraco sem fim. Lembrar daquilo fazia Ino dar pequenas risadas que chamam a atenção das pessoas ao seu lado. A garota percebe e fica um tanto sem graça entrando na lanchonete de uma vez e se aproximando dele.
- Yo, Ino-chan! – diz Yuusuke sorrindo ao vê-la. – Já estou olhando o cardápio, ok? Tô com fome.
- Novidade... – ela dizia sentando-se. Ela então fica séria ao olhar para Yuusuke. – Yuusuke-kun...
- Hm? – Yuusuke a olha. Ela parecia nervosa e então o rapaz toca sua mão. – O que foi, Ino-chan? Você está tremendo. Aconteceu alguma coisa?
Ino de repente trava. Ela queria dizer algo, mas não conseguia, sua voz simplesmente parecia não querer sair. Seu corpo tremia e suas mãos suavam de nervoso. Yuusuke começava a ficar preocupado.
- Ino? – uma voz atrás dela lhe parecia familiar. – O que houve? Está bem?!
A pessoa atrás dela em questão era Miya que dá a volta nela e a encara de frente, preocupada também.
- Acho que ela não está passando bem. – dizia Yuusuke para a Uniana. – Será que ela comeu algo que não a fez bem?
- Yuusuke, ela chamou pra tomar café da manhã. – comentava Miya.
- E daí? – ele respondia. – Eu vim tomar café da manhã também, mas dei uma forrada no estômago antes de sair.
Enquanto os dois conversavam, Ino parecia ainda mais nervosa. Ela nem mesmo reparara em Miya ali ainda. Aos poucos, ela vai se esparramando na cadeira como se fosse uma geleia de tão nervosa que estava.
- Ahhh.... – ela gemia de nervoso.

Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw


Launch 9 – Make Up! Miya e Ino caem em uma armadilha

Após algum tempo, Ino já havia se acalmado. Os três terminavam de tomar seu café da manhã e respiravam aliviados, como se tivessem comido o mundo.
- Mas então, Ino-chan. – Yuusuke dizia quebrando o silencio. – Você disse que queria falar algo comigo, o que é?
Ino voltava a ficar estranha. Ela olha então para Miya antes que pudesse ficar nervosa novamente e olha para Yuusuke.
- N-Não é nada. – ela responde enfim.
- Tem certeza? – ele toca a mão de Ino novamente que tenta esconder o nervosismo. – Parecia ser importante.
- Foi impressão sua. – Ino logo puxa sua mão. – F-Foi um bom café da manhã, né? Então tá, eu vou nessa!
- Ei! Mas, já? – Yuusuke a estranha. – Calma aí!
- E-Eu tenho que ir!
A garota se vira de repente trombando numa pessoa que passava, ela olha constrangida e sai correndo sem nem mesmo pedir desculpas. Ino corre o mais rápido possível da lanchonete querendo chorar. Ela não podia acreditar que não conseguira dizer a ele. Não podia acreditar que ele levara Miya para aquele momento. Se ela não estivesse lá, talvez...
- A quem quero enganar? – ela pensava em voz alta após parar de correr. – Eu ficaria nervosa do mesmo jeito e o resultado seria o mesmo...
- Que resultado? – a voz de Yuusuke a assustar Ino.
- AHHHHHH! – ela grita com o susto dando um salto em seguida e se virando. – YUUSUKE-KUN!!! NÃO CHEGUE ASSIM!
- Foi mal. – ele ria sem graça com Miya do seu lado. – Você esqueceu sua mochila lá. Francamente, Ino, você só não esquece a cabeça porque está presa no pescoço.
- O-Obrigada. – ela pega rapidamente a mochila fazendo reverencia e ameaçando ir embora.
- Espera! – Yuusuke segura seu braço. – O que vai fazer?
Ela não respondia nada. Seu corpo travara novamente enquanto ela se perdia nos olhos de Yuusuke.
- Ino, eu sei o que você foi fazer lá. – Yuusuke dizia. – Me diga, o que vai fazer a respeito?
A garota ficara surpresa e em choque. Ela nunca vira Yuusuke daquela forma. Ele então a puxa e a envolve em seus braços deixando Ino ainda mais sem graça e nervosa. Sua boca tremia ao mesmo tempo em que ela a mordia involuntariamente. Seu coração batia aceleradamente. Ia acontecer, o que ela sonhara a tanto tempo finalmente ia acontecer. Os dois estavam prestes a se beijar quando uma mão surge no meio fazendo a cena se desmanchar.
- Alo-ow! – Yuusuke dizia passando a mão na frente de Ino que simplesmente sente um estalo e volta a si.
- Hm? – ela dizia perdida.
- Eu perguntei o que ia fazer. – dizia Yuusuke.
- Y-Yuusuke-kun, eu... Eu....
- Bom, Ino-chan. – ele a interrompia. – Tava pensando aqui, seria legal se Miya-chan passasse um tempo de qualidade fazendo coisas que garotas gostam de fazer aqui na Terra. – ele continuava sem dar a mínima para o nervosismo de Ino. – O que acha, Ino-chan? Você levaria Miya para um passeio no Shopping? Só você e ela?
Ino olhava para Yuusuke e então para Miya novamente. Parte dela estava decepcionada, mas mentalmente ela acaba dando de ombros e então aceita o pedido de Yuusuke, mesmo não sendo o pedido que ela queria. As duas vão para o Shopping mais perto.
[Castelo Brazidoran]
- Então as duas Uniranger vão às compras huh? – dizia a Imperatriz Diiruma observando tudo. – Interessante... Ruu!
- Sim, Majestade... – diz o duende se aproximando com seus pés desengonçados.
- Onde está o novo TechnoMonstro?
- Bem aqui, senhora, acabei de cria-lo! – o duende vira-se de lado mostrando o novo monstro.
O TechnoMonstro parecia um manequim feminino com um longo vestido vermelho e agulhas presas em linhas. Uma peruca loira lhe cobria a cabeça e ela segurava um espelho em sua mão.
- Sou o TechnoMonstro Makeappu! – o monstro se apresentava. – Não se preocupe, majestade, eu farei com que essas duas Uniranger pereçam diante da mais bela de seu exército! No caso, eu! – ela se olhava no espelho em sua mão ajeitando a peruca. – Aliás, se a senhora quiser, posso dar uma corrigida na sua make, majestade!
- O que tem minha maquiagem? – dizia a imperatriz correndo até ela e olhando para o espelho.
- Precisa de uma correçãozinha aqui e ali, e então a senhora ficará plena como a soberana que é! – dizia a TechnoMonstro.
O Rei Ika olhava aquilo entediado e então pigarreia fazendo com que as duas parassem com aquilo. Makeappu faz uma reverencia e então some em meio a glitters e pós de maquiagem que a Imperatriz aproveita para pegar e passar em seu rosto.
- Hm... – Diiruma olhava em um espelho. – Não sei do que ela está falando, eu me maqueio muito bem, não acha querido?
- Com certeza, meu amor! – dizia o Rei Ika. – Tudo o que você faz é perfeito!
De volta à cidade, Ino e Miya andavam pelo Shopping no Centro da cidade. Miya já havia passeado por lá com os outros em outras oportunidades, mas em ambas foram atacadas pelo Império Brazillo e por isso Miya não havia prestado a atenção em tantas coisas. Ela ficara impressionada com quantas lojas e coisas eram vendidas em um Shopping. Também reparara no quanto Ino parecia distante. As duas nunca haviam parado realmente para conversar e criar um vínculo. Miya não sabia ao certo como falar com ela. Já Ino claramente se sentia um tanto incomoda. Em sua cabeça, ela não podia acreditar naquela situação.
- Porque eu sempre me coloco nessas situações? – ela pensava. – Por que eu tenho que ser tão tímida assim? Ficar sozinha justo com ela? Mas agora não tem jeito. Já disse que podia... – Ino finalmente quebrava o silencio entre elas. – Olha, Miya!
Ino apontava para uma placa em frente a uma loja de roupas. Tudo estava com 50% de desconto. Elas se olham e de repente, nem parecia que uma das duas era uma alien desacostumada a esse tipo de coisa, logo entram na loja e começam a olhar algumas roupas. Uma das atendentes se aproxima, como se praxe.
- Essa roupa deve ficar linda em você. – ela diz contornando Miya e puxando um lindo vestido amarelo. – O que acha?
- Hm... – Miya parecia pensativa e olhando para Ino.
- É bom mudar o guarda-roupa de vez em quando. – Ino responde.
- Mas o que o guarda-roupa tem a ver com esse vestido? – Miya ficava confusa fazendo com que Ino voltasse a se lembrar que diante dela estava alguém de outro mundo, literalmente.
- Hahahahah! – Ino ria constrangida e fingindo. – Não ligue! Ela gosta de fazer piada! Essa foi boa, amiga! – a garota a puxa para um canto e começa a cochichar. – É uma expressão aqui da Terra. Quer dizer que é bom ter variedades de roupas.
Miya chega um pouco para trás como numa reação de surpresa.
- Vocês terráqueos são muito estranhos. – ela comentava.
Novamente, Ino ria exageradamente fingindo que o comentário tivesse sido uma brincadeira. Ela toma o vestido da mão da atendente que olhava esquisito pras duas. Ino puxa Miya para um provador e entra no do lado.
- Err... Ino... – a uniana parecia com um certo receio de falar com ela. – Você... – ela respira fundo e então solta de uma vez. – Você gosta do Yuusuke, não gosta?
- Q-Quê?! – diz Ino assustando-se com a pergunta da alien. – Porque isso agora?!
Porém, quando Miya ia continuar a conversa, as duas são surpreendidas por um compartimento abaixo delas se abrindo. As duas deslizam por uma longa rampa que as fazem cair em um compartimento repleto de espelhos. Miya se levanta e vai até Ino.
- Você está bem? – pergunta a uniana. – Se machucou?
- Estou. – diz Ino um tanto atordoada, mas ainda se sentindo estranha com a presença de Miya ali. Ela recusa a ajuda pra se levantar e olha os espelhos que as cercavam.
- Onde será que estamos? – ela indagava.
- Não sei. – responde Miya olhando em volta também. – Caímos em uma armadilha do Império Brazillo.
As duas começam a inspecionar os espelhos tentando achar uma ruptura ou algo que as ajudassem a sair dali. Miya ativa a SeiunKen e ataca o espelho na tentativa de quebra-lo, mas ao invés disso acaba recebendo uma descarga elétrica que a faz cair.
- É inútil... – ela comenta. – Estamos realmente presas aqui. Qualquer ataque que desferirmos nesses espelhos seremos eletrocutadas.
- Essa não! – pensava Ino. – Eu vou ficar presa aqui com ela?!
Enquanto isso, algum bom tempo já havia se passado. Yuusuke chega até o estúdio para ensaiar e vê apenas Kenshin e Takato, eles testavam e afinavam seus instrumentos, o uniranger vermelho estranhava a falta de Ino.
- Onde está Ino? – ele perguntava para os outros dois que o olham e dão de ombros.
- Eu achei que estivesse com você. – diz Kenshin, o que não agrada nem um pouco os ouvidos de Takato. – Não iam tomar café juntos?
- Isso tem horas, cara. – comentava Yuusuke. – Tinha minhas coisas pra fazer, deixei ela com Miya.
- C-Com a Miya? – pergunta Takato um tanto que surpreso e nervoso.
- É, achei que seria uma boa Ino passear no Shopping com ela e estreitar vínculos. Ela é muito tímida e meio antissocial, sempre foi.
O Uni-Maker dos três tocam, eles olham em volta e então atendem. Krinus parecia bastante preocupado, Miya ainda não havia retornado para a nave o que deixa os heróis preocupados também, uma vez que Ino também sumira. Eles decidem ir para o Shopping no centro onde Yuusuke havia dito que tinham ido, procuram por todos os lados, mas nenhum sinal das duas Unirangers. Quanto mais o tempo passava, mais eles ficavam preocupados. Os três voltam a se reunir de frente para a loja de roupas e maquiagens.
- E então? – perguntava Takato para os dois.
- Nada. – respondia Kenshin.
- Nem um sinal sequer. – dizia Yuusuke também. – Isso está muito estranho.
- Pra onde elas podem ter ido? – indagava Kenshin.
- Hm... – Takato se via pensativo a respeito. – Isso está me cheirando ao Império Brazillo.
Eles questionavam a respeito quando a atendente se aproximam deles.
- Boa tarde, gostariam de provar algumas de nossas colônias masculinas? – ela perguntava.
- Er... Não, obrigado. – respondia Yuusuke. – Estamos ocupados.
- Entendo. – ela dizia. – Se houver algo em que possa ajudar.
- Na verdade, existe algo que possa nos ajudar sim. – diz Takato. – Estamos procurando duas amigas, uma de cabelos longos e pretos com uma jaqueta jeans esverdeada e short. A outra tem cabelos até os ombros meio encaracolados e castanhos. Deve estar de short marrom e uma blusa amarela social.
- Ah sim, elas vieram aqui sim. – diz a atendente. – Pensando bem, a última vez que as vi foi entrando nos provadores, mas não as vi saírem da loja. – a atendente levava o indicador ao queixo, pensativa.
Os três entram na loja e vão rumo aos provadores para procura-las. Eles passam por todos até finalmente se depararem com dois que possuíam aberturas no chão.
- Eu sabia! – diz Takato ao ver aquilo. – Elas caíram em uma armadilha de Brazillo!
No que diz aquilo, os três notam uma rápida movimentação e desviam do ataque de alguns Dollers que aparecem atrás deles. Os soldados param do lado da atendente que fazia uma pose com os braços cruzados.
- Desgraçada, você é do Império Brazillo, não é?! – diz Takato.
- Hahahaha, sim! – a atendente diz puxando sua roupa e a jogando para o alto revelando-se o TechnoMonstro. – Sou o TechnoMonstro Makeappu! Unirangers, vocês caíram em minha armadilha direitinho!
- Desgraçada... – Kenshin socava o próprio punho.
- O que fez com Ino e Miya?! – indagava Yuusuke.
- Não se preocupem com suas amiguinhas, logo estarão com elas no inferno! – a vilã diz indo pra cima dos três que desviam do ataque puxando suas SeiunKeys e se transformando.
Enquanto isso, Ino e Miya se encontravam sentadas no chão encarando os espelhos. Uma sensação constrangedora e incomoda rondava as duas. Elas evitavam se olhar, ainda assim, Ino a encarava de vez em quando até que Miya nota e a encara também.
- Não precisa se preocupar. – Miya dizia.
- Eu sei, Yuusuke e os outros devem aparecer logo pra nos salvar. – Ino respondia com um sorriso que Miya não sabia se era verdadeiro ou forçado.
- Não é disso que estou falando. – Miya a cortava na hora. – Falo em relação ao Yuusuke.
- Hm? – Ino se fazia de desentendida. – D-Do que está falando?
- Você gosta dele, não gosta? – Miya soltava enfim. – Digo, mais do que como um amigo. Pude notar.
- E-Está enxergando coisas. – Ino negava mesmo estando na cara que era mentira.
- Pode dizer, você ia se declarar pra ele, não ia? – a uniana insistia. – Porque não o fez?
- Isso não importa. – Ino finalmente abaixava a guarda e olhava de canto, com uma feição entristecida. – Ele jamais se interessaria por alguém tão tímida e sem graça como eu.
- Do que está falando? – a alien interrompe Ino com um olhar de repreensão. – Você pode até ser tímida, mas não é sem graça coisa nenhuma! Você é capaz de deixar a timidez de lado e subir num palco pra cantar, sempre que faz isso, deixa transparecer sua verdadeira natureza – a de uma pessoa forte e firme. Qualquer terráqueo seria muito sortudo em ter alguém como você. Se Yuusuke não enxerga isso, ele é um tolo.
- Mi-Miya-chan... – Ino ficava surpresa e em choque com aquelas palavras. Aquele tempo todo encucada com ela e Yuusuke e ainda assim, foi capaz de proferir palavras como aquelas.
- De qualquer forma, eu já disse: não precisa se preocupar. – Miya abria um sorriso.
Ino ficava ainda mais sem graça. Ela então tenta desconversar jogando o foco do assunto numa forma de sair dali. Ino se aproxima novamente dos espelhos colocando seu ouvido sobre eles e dando alguns toques quando escuta a voz de Yuusuke.
- Ino-chan! Miya-chan! – diz o guerreiro vermelho. – Vocês estão aí?!   
- Yuusuke-kun? – diz Ino chamando a atenção de Miya que se levanta e se aproxima colocando o ouvido no espelho também. – Sim! Estamos aqui!
- Muito bem! – ele dizia através do espelho. – Não se preocupem, vou tirá-las daí! Afastem-se!
Como pedido, as duas se afastam no que Seiun Mars prepara seu ataque, o Mars Dynamic Slash, onde o herói movimenta a Mars Blazer em Blade Mode em um círculo e o corta em diagonal, formando a imagem de um planeta vermelho que destrói a parede de espelhos na frente das garotas. As duas saem de lá correndo e eles vão de encontro aos outros dois Unirangers que seguravam as pontas com os soldados Dollers e Makeappu.
- Miya! Ino! – diz Seiun Jupiter ao se aproximar.
- Que bom que estão bem. – Seiun Saturn tocava o ombro de Ino.
As duas garotas viram a cara e então dão um tapa no capacete dos três.
- Porque demoraram tanto?! – diz Miya.
- Aposto que nem deram pela nossa falta, não é mesmo? – indagava Ino.
- Ui! Olha só elas! – Seiun Mars brincava. – Tão de TPM, é?!
As duas olham com um olhar feroz para os três que apenas recuam. Elas então se olham e Miya toca no ombro de Ino.
- Então, o que acha de mostrarmos pra essazinha aí o nosso Girl Power? – perguntava a Uniana. Ino queria perguntar como ela sabia esse termo, mas aquela não era hora praquilo.
- Vamos nessa. – diz a uniranger azul enfim.
As duas puxam suas Seiun Keys e as encaixam no Uni-Maker.
- Seiun Key! – dizem elas em uníssono. – Start Henshin!!
VENUS MERCURY
– 
LAUNCH
Um brilho as envolve, ao fundo aparece o universo, o corpo de cada uma brilha intensamente, desse brilho surge um uniforme, que se completa com o capacete em suas cabeças.
- A Guerreira Brilhante! – diz SeiunMercury rodopiando como se segurasse um véu e então jogando as pernas cada uma para um lado, levando uma das mãos pra cima enquanto a outra se posicionava na cintura enquanto a imagem do planeta Mercúrio aparecia no fundo – SeiunMercury!
- A Guerreira da Alvorada! – diz SeiunVenus fazendo movimentos com as mãos na frente da cabeça. Ela desliza a perna direita para trás como num passo de tango joga o braço esquerdo para cima. Em seguida o move rapidamente para o lado enquanto o direito vai pra frente no que a imagem do planeta Vênus aparecia no fundo – SeiunVenus!
- O Gue-!
- Vamos nessa! – diz Seiun Venus sem esperar junto com Seiun Mercury, ambas correm em direção aos Dollers e à Makeappu.
- Ei! Isso está errado... – diz Seiun Mars injuriado. – Muito errado!
- Deixa pra lá! – Seiun Jupiter toca o ombro do amigo e parte pra cima dos Dollers assim como Seiun Saturn.
Enquanto os três heróis enfrentavam os Dollers, Venus e Mercury iam com tudo pra cima da TechnoMonstro. SeiunVenus dava uma sequencia de socos contra a vilã, ela então se abaixa no que Seiun Mercury dá um rolamento em suas costas e acerta o monstro com um chute. As duas então armam um soco em conjunto que atinge o peito da vilã.
- Vocês vão precisar de mais do que isso pra acabarem comigo! – diz ela.
- Ah, mas nós temos mais do que isso, não é mesmo? – diz Seiun Venus olhando para a colega Uniranger.
- Sim! – Mercury concorda.
- Venus Shooter! – dizia a heroína de amarelo invocando sua arma. – VENUS PLASMA CRUSH!!!
Ela dispara um raio de plasma poderoso no formato do planeta contra Makeappu que, ao ser atingida, deixa o espelho voar até a mão da heroína.
- M-Meu espelho! – diz a vilã. – Me devolva!
- Você quer esse espelho é? – Venus dizia. – Porque quer tanto esse espelho? O que ele tem de especial?
- N-Nada! – insistia a vilã com receio. – Me devolva logo!
- Tudo bem, já que insiste... – SeiunVenus joga o espelho para o alto. – Pega!
- Mercury Daggers! – dizia a heroína de azul invocando sua arma. – MERCURY BUBBLE BOMB!
Ela assopra as bolhas criadas com as adagas na direção do espelho que se quebra com o impacto das explosões. O espelho cai destruído no chão enquanto que a vilã se aproxima dele desesperada.
- N-Não é possível! – ela dizia. – O que vocês fizeram? Como posso lutar sem observar o quão bela eu sou?! Como?!
- Vamos acabar com ela logo. – diz SeiunVenus.
As duas heroínas invocam o Magnum Cannon que surge voando nos céus e pousa diante delas.
- MAGNUM CANNON! – dizem os cinco em uníssono.
- Preparar para o lançamento! – dizia SeiunVenus olhando para SeiunMercury que tentava centralizar a vilã no meio.
- Na mira! – diz ela ao conseguir.
- Disparar! – comandava SeiunVenus.
No que o comando é dado, a cabeça da arma nave é disparada numa velocidade surpreendente. Com a imagem de uma nave espacial atravessando os planetas e asteroides das duas heroínas, ela atravessa o monstro com tudo. Os outros três se aproximam delas finalmente.
- Isso foi incrível! – diz SeiunJupiter.
- Como descobriram que o ponto fraco dela era o espelho? – indagava SeiunSaturn.
- Foi muito simples. – explicava SeiunVenus. – Ela nos trancou em um lugar repleto de espelhos e quando foi atingida agora e deixou o espelho em sua mão cair nas minhas, eu notei o quão desesperada ela ficou.
- Foi uma questão de somar dois mais a dois. Ela era muito vaidosa, e deixou com que percebêssemos isso. Se o espelho fosse destruído, ela ficaria desequilibrada emocionalmente e criaria uma abertura para nós. – concluía Seiun Mercury.
- Me lembrem de nunca despertar a ira de vocês. – comentava SeiunMars.
Os heróis logo são surpreendidos com a imagem de um trevo enorme que atinge os restos de Makeappu e a revive em uma forma gigantesca.
- Ahhhh!!! – gritava a gigantesca TechnoMonstro. – Vocês duas me fizeram perder todo o meu glamour e elegância! Vão pagar por isso!
Ela tenta pegar as duas heroínas, mas elas e os outros três desviam dando rolamentos e então invocam seus mechas realizando o gattai logo em seguida. O foguete se encaixa à nave espacial. O jato de divide formando os braços que se acoplam ao robô. O carro espacial toma a forma de uma perna que se acopla à turbina direita do foguete enquanto o satélite toma a forma de uma perna também que se acopla à turbina esquerda do foguete. Um compartimento na parte superior do foguete se abre revelando um rosto que brilha seus olhos intensamente e se mantendo ligado.
- PODEROSO UNIGREAT! ATERRISSAR! – dizem todos em uníssono.
UniGreat cai em pé no chão batendo suas mãos anunciando que estava pronto para o combate.
- Não pensem que vão me vencer tão facilmente assim! – diz Makeappu. – Eu estou bem mais forte agora e vocês não viram todas as minhas habilidades!!
A vilã começa a atacar os heróis com as agulhas presas em seu vestido. Essas agulhas se mantinham ligadas ao seu corpo através de linhas bem fortes. Elas se movimentavam como se estivessem vivas atingindo UniGreat que só conseguia dar alguns passos pra trás enquanto soltava faíscas. Em seguida, as agulhas começam a enrolar as linhas nos braços do robô que tentava mexe-los e se soltar delas, mas inutilmente.
- Hahahaha, estão vendo? – diz a vilã. – Isso é o que acontece por despertarem minha ira!
- Ah, é mesmo? – dizia SeiunMercury. – Que tal darmos um passeio então?!
A heroína começa a apertar alguns botões no painel à sua frente que fazem com que seu mecha pessoal e o de SeiunJupiter se desprendessem do robô que começa a flutuar com as turbinas religadas. Unigreat começa a voar de um lado para o outro puxando a vilã que gritava desesperada enquanto batia nos prédios à sua frente. Em seguida ele a conduz até o espaço e desce num rasante de volta para a Terra fazendo a TechnoMonstro se chocar com tudo no chão e livrando o robô de suas agulhas.
- Ai... – dizia a vilã levantando-se tonta como se pudesse ver estrelas em volta de sua cabeça.
- Pessoal, vamos acabar com isso! – diz SeiunVenus no que os outros concordavam em uníssono.
- SEIUN SABRE! - dizia SeiunMars invocando a espada do robô.
UniGreat balançava sua espada de um lado para o outro. Em seguida ele puxa a espada e a para em 90º perpendicular à cabeça.
- CHOU SLASHING BOLT! – dizem os cinco em uníssono.
UniGreat enche sua lamina de energia com raios que caíam sob um fundo negro. O robô corre na direção do monstro e atravessa a espada verticalmente e depois horizontalmente. Secretappu gira seu corpo em 360º e se choca contra o chão criando uma grande explosão. UniGreat se posiciona em pé enquanto os Unirangers comemoravam a vitória.
- Isso sim é uma vitória de outro mundo! - dizia SeiunMars fazendo joinha para a tela.
Passado algum tempo, a paz havia retornado à Terra naquele dia. Os nossos heróis comemoravam na UniShip, Yuusuke, Takato e Kenshin perturbavam Krinus devido às bebidas enquanto que Miya aproveita pra se afastar com Ino e conversar em particular, as duas vão para o quarto.
- O que você queria me dizer? – indaga Ino ainda um tanto incomodada.
- Nós fomos interrompidas àquela hora. – Miya dizia referindo-se a quando estavam presas na armadilha de Brazillo e Yuusuke apareceu. – Só queria dizer pra não se preocupar.
- Me preocupar? – Ino parecia confusa. – Com o que?
- Comigo e Yuusuke.
- V-Você e o Yuusuke? – Ino não conseguia esconder seu espanto e medo do que seria dito em seguida. – O-O que tem vocês?
- Não temos nada. – respondia Miya. – Por isso não deve se preocupar. Yuusuke, ele... – Miya parava por um breve período, como se buscasse as palavras certas. -... Tornou-se um bom amigo, apenas isso. – ela dissera aquilo, mas não parecia muito certa. – É, é isso, apenas um bom amigo.
Ino tenta disfarçar, mas no fundo aquelas palavras deixaram seu coração calmo e mais tranquilo. Ela acaba deixando um sorriso de alivio escapar. Miya sorri pra ela também e então se vira para deixa-la sozinha um pouco, porém, ela para apoiando-se no portal do quarto e olha de lado para a heroína azul.
- ... Ao menos por enquanto. – ela concluía dando uma piscada pra Ino e rindo um pouco, saindo em seguida.
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
- Olá! O que acharam do episódio de hoje? Miya e Ino parece que ficaram mais próximas depois disso, não acham? – dizia o robô. - O episódio de hoje foi centrado nelas, portanto, vamos falar do planeta Vênus e Mercúrio! – ele apontava para o telão que mostrava uma imagem dos dois planetas. Ambos são planetas interiores do Sistema Solar. Além disso, o que mais eles tem em comum?

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: os dois possuem nomes de deuses mitológicos! Os dois planetas possuem aparições matutinas e vespertinas. Isso fez com que os planetas fossem nomeados pelos gregos segundo suas aparições – Apolo (matutino) e Hermes (vespertino) para Mercúrio. Eosphorus e Hesperus respectivamente para Venus. Enquanto que Mercúrio já se sabia se tratar do mesmo objeto, Venus foi considerada dois objetos distintos por um tempo em suas aparições. Por hoje é só, mas fiquem aí e vejam o que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!
Krinus capta um pedido vindo do espaço. Ino reconhece como sendo de sua mãe e ela e Takato decidem ir de encontro a ela. No entanto, mais surpresas virão. Launch 10 – O pedido vindo do espaço.


Makeappu

domingo, 6 de agosto de 2017

PLANET CAST #17 - VAMOS FALAR DE SPACE SQUAD!!


Fala galerinha do Planet Satsus!! Estamos de volta com o Planet Cast depois de mais de um ano de hiato. E nesse Cast temos a participação de Gilson Andrade, Maique Dull, Daniel Lana, João Silva do grupo Kamen Riders Unidos e claro, eu!! Vamos falar do filme que alastrou comentários e boatos pela tokunet antes de sua estréia, e quando chegou aqui sem legenda, explodiu mentes por todo o pais, mas que quando a legenda chegou, dividiu opiniões. Teremos um verdadeiro debate, regado a muito humor com toda essa galera.

Então clique no Player e seja muito bem vindo ao Planet Cast o Retorno. Não deixe de visitar a página do nosso convidado João Silva.

Fiquem com Deus e até a proxima.

Pagina do participante João Silva
https://www.facebook.com/groups/Kamen Riders Unidos





sábado, 29 de julho de 2017

Aprendendo a Assistir Séries Clássicas



Aprendendo a Assistir Séries Clássicas

     Certa vez, fui questionado por um amigo: "você curte séries clássicas?" Eu respondi que "sim"! E esse meu amigo insistiu: "Ah é? Cite algumas séries que são clássicas, para você?" Respondi: "Ué? Jaspion, Changeman, Kamen Rider Black, por exemplo!" Ele balançou a cabeça, negativamente, e disse: "Não! Volte mais no tempo!" Pensei e respondi, prontamente: "Aaah! Você está falando de Ultraman, de Spectroman, Magma Taishi (Goldar e os Vingadores do Espaço), Robô Gigante etc?" Ele: "Sim, mas e as séries do anos 60 e 70 que não foram exibidas por aqui? Você já assistiu?" Percebi que ou eu desconhecia essas séries ou só as conhecia de ouvir falar.

     Bom, durante a publicação do Cine Rede Tokusatsu, recebi uma sugestão de postar Super Robô Red Baron de 1973 e Spiderman-Japonês de 1978. "Torci o nariz" e não fiquei muito animado devido aquele preconceito bobo de julgar séries pelo visual. Eu assisto às séries, ao mesmo tempo, que as publico. Seria eu capaz de assistir séries antigas que não contam com o auxílio do meu sentimento nostálgico? Fiquei preocupado em achar tudo "tosco" demais. Enfim, resolvi encarar o desafio!

     Primeiro, tive que lhe dar com o  preconceito de achar "tosco"! Entendi que eu não devia assistir procurando e comparando com as técnicas de filmagem e efeitos especiais das séries dos anos 80, 90 ou muito menos, com as dos dias atuais. Eu deveria respeitar as opções de produção da época. Sem comparações! Apenas curtir à série.

     Depois, tive que lidar com a falta de amor nostálgico. Assistir séries dos tempos da Manchete era  fácil para mim, por causa daquela sensação gostosa, aquela de relembrar uma época maravilhosa da vida de muitos (infância e adolescência). Assim como nos tempos da Manchete, eu não estava atrás de perfeição nos mínimos detalhes. Eu não iria assistir à procura da série perfeita. Fui apenas em busca de entretenimento.

     Assim, eu assisti aos meus primeiros tokusatsu clássicos: Red Baron e Spiderman-Japonês. Arrependimento? Zero! Fiquei encantado com a qualidade e maturidade da história, aliadas aos efeitos mais simples e reais das séries clássicas! Os momentos de limitações técnicas ficaram como um alívio cômico nessas séries que, por vezes, deixaram-me em dúvida:  "estou, realmente, assistindo algo voltado para o público infanto juvenil?" Mortes, sangue, cenas com fortes cargas dramáticas etc. Tudo que um tokufã, hoje, já "grandinho" poderia querer em séries tokusatsu. Cheguei até brincar com um amigo de tokunet: "Rapaz! Como morre gente nessas séries, hein? Todo episódio, uma tragédia! Não dá para assistir sem uma caixa com lenços de papel ao lado!" Rs

     Sem dúvida, uma experiência muito bacana, a qual, eu que curti muito! A partir dessas referidas séries, eu fui introduzido ao universo dos clássicos! Assistindo várias outras séries, na sequência.

     Eu quis dividir essa experiência com vocês, porque, certamente, muitos têm ou tinham esses receios ao assistirem vídeos de séries clássicas, que não foram exibidas por aqui. Muitos, assim como eu, venceram essa barreira, porém, muitos ainda devem estar "presos" nela. Dê uma chance para essas séries você, também! Pergunte para quem já assistiu. Certamente, você se surpreenderá!

Luciano Alves de Souza
Adm Fãs de Séries Japonesas
Adm Rede Tokusatsu
Adm TokuShow
Adm Mundo Tokusatsu
Adm Santuário dos Animes
Adm Mechas-Robôs dos Tokusatsu
Colaborador Planetsatsu

domingo, 16 de julho de 2017

Seiun Sentai Uniranger - Capítulo 08




Data Timming... Inciando transmissão...
Enquanto patrulhavam, Kenshin e Yuusuke acabam topando com uma garota cheia de mimos e irritações. O TechnoMonstro MatchRoid ataca a garota que acaba se apaixonando por Kenshin e o obrigado a lidar com ela. Aproveitando-se da discussão entre os dois, Kororu sequestra a garota fazendo Kenshin sentir-se culpado. Eles travam uma batalha terrível entre si e Kenshin finalmente salva a garota e admite ter se apaixonado por ela.
Data Timming... Fim da transmissão...

Aproveitando o belo dia que fizera naquela manhã, os nossos heróis decidem fazer um pique-nique no parque com Miya e Krinus. A alien parecia maravilhada e em paz respirando aquele ar puro.
- Como a Terra é maravilhosa quando está em paz. - ela comenta ao ver Yuusuke se aproximando e lhe entregando um copo descartável com suco.
- A vida no planeta Uni devia ser complicada, né? - o rapaz a olhava de uma forma diferente.
- Sim. - Miya respondia. - É difícil me lembrar de como era antes dos Terroristas Espaciais invadirem e iniciarem uma guerra.
Sempre que Miya falava sobre seu planeta e o quanto era dura a guerra, Yuusuke se sentia triste. Ele segura a mão da Uniana com força e ela, pela primeira vez, correspondia fechando os olhos com feição de lamento. Sem que ninguém prestasse a atenção, Ino observava aquilo um tanto triste. Takato a via triste e parecia se incomodar, mas mantinha-se calado.
- Não entendo. - dizia Krinus para Kenshin.
- O que não entende? - ele ficara curioso.
- Sou apenas um robô. - ele respondia. - Meu sistema não consegue encontrar um motivo para “desfrutar de um belo pique-nique.” - ele dizia reproduzindo a voz de Yuusuke.
- Ora, qualé! - diz Yuusuke se aproximando e apoiando seu braço no pescoço do robô e o puxando pra perto de si. - Pra gente você não é um robô! É um de nós, não é não?
- Um de vocês? - indagava Krinus. - Não sou humano, nem Uniano. Sou uma máquina programada para assistenciar os Uniranger.
- Heh... - Kenshin sorria um tanto sem graça. - Não foi isso o que a gente quis dizer...
No castelo maligno Brazidoran, o Rei Ika observava aos Unirangers se divertindo. Ele esticava seus tentáculos destruindo tudo o que estivesse mais próximo. A Imperatriz Diiruma tentava acalmá-lo.
- Meu amor, tenha cuidado com o seu coração! - dizia a vilã. - Vai acabar tendo um treco.
- Esses malditos Unirangers, só atrapalham!!! - o rei estava irritando. Os Dollers corriam dali fugindo dos tentáculos. - KORORU!!! RUU!!!
- S-Sim, majestade! - dizia Ruu correndo desesperando com seus pés enormes.
- Meu senhor. - Kororu aparece também fazendo reverencia.
- Porque não estão atacando a cidade?! - diz o Rei Ika irritado. - Já não aguento mais! A Terra tem de ser nossa! É nosso direito!
- Se-Senhor. - Kororu dizia com temor. - T-Tenha paciencia, senhor.
- Majestade, eu já enviei um novo TechnoMonstro para a cidade! - dizia o duende. - Neste exato momento, ele já deve estar reivindicando a Terra em nome do Império Brazillo!

Os grandes protetores do universo! Os Guerreiros escolhidos para defender a justiça em todos os planetas... Eles são... Seiun Sentai Uniranger!
Abertura: https://youtu.be/qLuMlTgRlXw


Launch 8 – Old but Gold

Um terrível monstro de corpo cinza e partes laranjas, com um enorme símbolo de “power” em seu peito atacava o parque. Ele tinha a cabeça em forma de uma câmera cinza com detalhes laranjas também. Acima da lente haviam dois olhos amarelos e malignos. Ele ataca algumas pessoas fazendo com que seus corpos se unissem.
- Veja só, como sou um artista! - diz o TechnoMonstro admirando seu trabalho. - Esse filtro ficou perfeito em vocês dois!
As duas pessoas que foram unidas saem correndo, apavoradas. O monstro ataca outra com outro filtro, fazendo com que a pele delas ficassem mais fortes, alaranjadas. O Rei Ika observava aquilo tudo contente.
- Perfeito, perfeito! - diz o rei. - É incrível! As pessoas estão apavoradas, desesperadas! Como eu amo essa feição no rosto dos humanos!
- O TechnoMonstro Retricappu tem a habilidade de usar os filtros de aplicativos de fotos nos seres humanos, podendo fazer com eles o que quiserem! Mexendo com a emoção humana! - explicava Kororu.
- Isso é incrível! - dizia Rei Ika. - Dessa vez vocês se superaram!
- Pois eu achei horrível! - dizia a imperatriz. - Usar um aplicativo criado para elevar o ego das pessoas de forma contrária... Que horror!
- Os humanos são realmente muito fúteis. - comentava Kororu. - Manipulá-los e aterrorizá-los é muito fácil nos tempos atuais.
O vilão sorria enquanto que o rei já comemorava a vitória antecipadamente. Porém, a atenção dele é voltada para o TechnoMonstro quando este é atingido por um disparo dos Unirangers que aparecem no local já transformados.
- TechnoMonstro, o que está fazendo com essas pessoas?! - dizia SeiunMars.
- Pare agora mesmo com o que estiver fazendo! - ordenava SeiunVenus.
- Pessoal, vejam só aquelas pessoas... - alertava SeiunSaturn.
Os heróis observam e veem uma delas com parte do corpo unida à da outra. Outras em uma cor como se tivesse tirado uma foto em negativo. Outra como se a saturação tivesse sido alterada.
- Isso é terrível! - dizia SeiunMercury levando as mãos à boca do capacete.
- Desgraçado, o que fez com essas pessoas?! - SeiunJupiter estava indignado.
- Ora, os seres humanos gostam tanto de tirar Selfies! - dizia Retricappu. - Sempre usando filtros para esconder seus defeitos, apenas dei a eles o que queriam! Hahahahahaha!
SeiunMars já não aguentava mais ouvir uma palavra sequer do monstro. Ele parte pra cima do vilão com a SeiunKen desferindo ataques de investida. O monstro desvia de todos os ataques. Porém, é acertado por SeiunVenus com a SeiunKen.
- Você me acertou! - diz o monstro surpreso. - Acabei baixando a guarda por causa do vermelhinho aí.
- Mas, hein? - SeiunMars coçava a cabeça. - Vermelhinho? É SeiunMars...
- Isso não tem a menor importância agora... - comentava SeiunSaturn.
- Vocês merecem um filtro especial! - dizia o TechnoMonstro disparando um raio pela lente.
O raio atinge os unirangers que, apesar do susto do ataque, acabam não sentindo diferença alguma. SeiunVenus ataca o vilão mais uma vez que escapa dos ataques sequenciados e toma uma certa distancia.
- Essa é a hora de tomar uma retirada estratégica! - ele diz encolhendo seu corpo ficando apenas uma camera flutuante que voa rapidamente pra longe dali.
SeiunVenus desativa a transformação se aproximando das vítimas enquanto Krinus se aproximava também.
- Krinus, por favor, cuide dessas pessoas. - ela dizia. - Pessoal, nos ajudem aqui!
- Err... Miya-chan... - dizia a voz de Ino um tanto diferente.
Miya olha pra ela e vê então que não só Ino como os outros estavam velhos. Ela olhava estranho para aquilo tudo.
- Quem são vocês? - Miya perguntava. - Porque estão com as roupas dos meus amigos?
- Miya-chan, somos nós. - dizia Ino. - Nós apenas... - Ino faz uma pausa. Ela olha um tanto deprimida. - Envelhecemos.
Eles retornam pra UniShip. Lá, Krinus examinava os Unirangers para tentar descobrir o que exatamente aconteceu. Miya estava apreensiva. Krinus teclava no computador da nave incessantemente até que a uniana se aproxima e bate no painel.
-Porque essa demora toda?! - diz Miya. - Não descobriu ainda?!
- Me desculpe Srta.Miya. - respondia Krinus. - As análises foram concluidas. - Krinus se aproxima dos outros. - Retricappu aplicou matrizes denominadas máscaras sob vocês, tornando-os velhos.
- Matrizes? - O velho Yuusuke coçava a cabeça. - To perdido.
- Hm... - Krinus tentava buscar outra forma de explicar. - É o que vocês humanos chamam de filtro de imagens. Segundo minhas pesquisas e análises, são muito comuns em aplicativos de imagens.
- Então, tudo isso não passa de uma maquiagem? - indagava Takato.
- Ótimo! Então é só tirarmos isso! - Yuusuke fazia um esforço como se tentasse expulsar algo. Mas logo se cansa, apoiando-se em uma cadeira e ofegante.
- Vocês não vão conseguir se livrar do filtro assim. - respondia Krinus. - Os filtros são transformações da imagem pixel a pixel, que não dependem apenas do nível de cinza de um determinado pixel, mas também do valor dos níveis de cinza dos pixels vizinhos.
Todos olhavam para Krinus com cara de paisagem. O robô logo percebe que eles não haviam entendido nada, inclusive Miya. Ele leva a mão à sua superfície de emissão de voz e emite um som como se estivesse pigarreando.
- Em resumo, o TechnoMonstro aplicou o filtro em seus genes como se fossem os pixels de imagem e os modificaram. O único jeito de reverter isso é derrotando ele.
- Mas espera aí. - interrompia Yuusuke. - Se estamos sob o efeito desse filtro que Retricappu usou, porque ela não envelheceu? - ele apontava para Miya. - Ela também foi atingida pelo golpe.
- Lembra que falei sobre os genes? - explicava Krinus. - Miya não é uma terráquea como vocês. Os genes dos Unianos envelhecem de forma diferente. Ela está sob o efeito, mas graças a seus genes de outro planeta, a Srta.Miya envelhece de forma lenta.
- Nossa... - Ino a olhava espantada. - Que inveja!
- Então já sabemos o que precisamos fazer! - dizia a Uniana. - Vamos pessoal, vamos encontrar Retricappu e acabar com isso!
Ela se vira para a porta e nota que ninguém a seguia. Ela se vira novamente e vê que eles mal se aguentavam em pé. Miya se aproxima preocupada.
- O que houve, pessoal?! Vamos!
- Srta.Miya. - Krinus chama sua atenção. - O corpo dos terráqueos ficam muito fragilizados quando envelhecem. Eles estão envelhecendo cada vez mais, isso os fazem fracos, não suportariam se transformar e luta.
- Pessoal... - ela os olhava triste, porém determinada. - Certo! Vou faze-los voltar ao normal! Eu prometo!
Em meio à cidade, Retricappu continuava a lançar filtros nas pessoas. Algumas se viam presas em molduras, outras estavam enroladas em selos. Ele parecia se divertir muito enquanto as pessoas gritavam desesperadas.
- Isso é o que acontece quando insistem em não entregar a Terra para o Império Brazillo!!! Nós governaremos este mundo, custe o que custar!!!
Retricappu é atingido em cheio por um disparo. Ele se vira e vê SeiunVenus se aproximando mudando a SeiunGun para SeiunKen. O monstro lança raios de filtros contra ela que os rebatia com a arma em sua mão. Em seguida ela se aproxima do monstro que defende com a arma presa em seu braço direito.
- Mas como é possível? - diz o monstro. - Eu usei o filtro de envelhecimento em você! Devia estar velha e sem energias agora!
- Agradeça ao meu gene alien! - ela dizia o empurrando com a SeiunKen e o atingindo com um golpe.
O monstro se afasta dela um tanto surpreso, mas logo se recompõe.
- Heh, você pode ser de outro planeta, mas os seus amigos não estão aqui... - ele deduzia enfim. - Isso quer dizer que eles são humanos e portanto estão sob o efeito! Você é apenas uma e nós somos muitos! Dollers!!!
Os soldados Dollers surgem obedecendo o comando do TechnoMonstro e partem pra cima da heroína que os enfrentava sem medo. Retricappu se junta a eles aumentando ainda mais a dificuldade da Uniana. Ela derrota os soldados ali e então prepara um ataque contra o monstro. A heroína dá um salto poderoso descendo em alta velocidade projetando seu pé à frente.
- Venus Final Kick!!! - ela anuncia ao tentar acertar o monstro com seu chute. Porém, o monstro segura seu ataque e a joga no chão.
Retricappu se aproxima dela e começa a acertá-la com uma sequencia de golpes. Ele se vangloriava dizendo o quão tola ela era por enfrentá-lo sozinha. De repente, algo atinge ele, era uma lata de refrigerante. Ele e SeiunVenus notam que as pessoas ali começavam a jogar as coisas contra o monstro.
- Deixe-a em paz! - dizia um cidadão.
- Não vamos deixar que faça mal a ela! - dizia uma outra.
Miya ficava surpresa com aquilo. Retricappu a solta e então começa a rir da cara das pessoas ali dizendo que eram todos tolos em se arriscarem daquele jeito. A heroína sentia a dor dos ataques e percebe que seu corpo já não estava tão resistente, provavelmente um efeito do filtro de envelhecimento. O TechnoMonstro acaba abaixando a guarda e é atingido por um ataque repentino de SeiunVenus.
- Pessoal, obrigada! - dizia a nossa heroína. - Mas deixem isso comigo! É perigoso demais pra vocês! Você está vendo Retricappu?! - ela se dirige a ele. - Vocês do Império Brazillo subestimam os habitantes desse planeta, eu posso estar sem os meus amigos aqui, mas eu certamente estou em maior número!
- Idiota! - o monstro dizia. - Isso não muda nada!
- Prepare-se!!! - a heroína corre na direção do monstro.
- Pode vir, sua alien enxerida!!!
Retricappu parte pra cima dela que faz o mesmo. De repente, SeiunVenus se joga pro lado esticando sua perna, fazendo com que o vilão caísse. Ela se levanta e o atinge com diversos golpes com sua SeiunKen.
- Pare com isso! - o monstro gritava. - Pare com isso!!!
- O que foi? - indagava a heroína. - Não está gostando da minha massagem?
Ela continuava com o ataque enquanto o monstro gritava de dor. Em seguida ela salta ativando sua arma pessoal, a Venus Shooter.
- Não é de efeito que você gosta? - diz ela. - Então prepare-se o meu ataque final! Venus Plasma Crush!!!
Ela dispara um poderoso raio de sua arma que atinge o monstro que recua soltando faíscas. As pessoas atacadas por Retricappu voltam ao normal assim como os outros Unirangers que, aliviados, correm para se juntar à SeiunVenus. Eles se aproximam dela já transformados.
- Mandou muito bem, Miya-chan! - dizia SeiunMars tocando seu ombro e comemorando.
No entanto, o monstro ainda não havia sido derrotado. Ele se levanta mesmo que fraco e de repente a imagem de um trevo de quatro folhas gigante surge acima dele passando pelo corpo do TechnoMonstro que torna-se gigantesco. Ele tenta atacar os heróis, mas esses desviam e chamam por seus mechas. A UniShip surge no céu disparando raios contra o monstro e então aterrissa. Um compartimento se abre revelando os mechas de cada um.
– SEIUN GATTAI! –
– LAUNCHING... RED ROCKET! –
– LAUNCHING... YELLOW DISK! –
– LAUNCHING... BLACK FIGHTER! –
– LAUNCHING... GREEN EXPLORER! –
– LAUNCHING... BLUE CRAFT! –
Os Unirangers adentram seus mechas e dão inicio ao gattai.
– STARTING! CHOU FORMATION! –
O foguete se encaixa à nave espacial. O jato de divide formando os braços que se acoplam ao robô. O carro espacial toma a forma de uma perna que se acopla à turbina direita do foguete enquanto o satélite toma a forma de uma perna também que se acopla à turbina esquerda do foguete. Um compartimento na parte superior do foguete se abre revelando um rosto que brilha seus olhos intensamente e se mantendo ligado.
- PODEROSO UNIGREAT! ATERRISSAR! – dizem todos em uníssono.
- Então vocês possuem um brinquedinho, huh? - diz o TechnoMonstro. - Vejamos se ele aguenta um tratamento de alta qualidade!!!
Retricappu parte pra cima de UniGreat que defende os ataques e o atinge com um soco.
- SpinningSlash! - diz SeiunVenus.
O disco voador no peito do robo se desprende e então UniGreat o gira de forma a criar uma energia em volta e o lança contra o monstro que se afasta soltando faíscas e gritando de dor. A lente de sua camera se parte.
- Essa não! - gritava ele. - Minha lente!!!
O Yellow Disk retorna para o robô prendendo-se em seu peito outra vez. SeiunVenus se reune com os outros novamente.
-Isso foi demais! - diz SeiunMercury comemorando e fazendo um sinal de joinha para a heroína.
- SEIUN SABRE! - dizia SeiunMars invocando a espada do robô.
UniGreat balançava sua espada de um lado para o outro. Em seguida ele puxa a espada e a para em 90º perpendicular à cabeça.
- CHOU SLASHING BOLT! – dizem os cinco em uníssono.
UniGreat enche sua lamina de energia com raios que caíam sob um fundo negro. O robô corre na direção do monstro e atravessa a espada verticalmente e depois horizontalmente. Secretappu gira seu corpo em 360º e se choca contra o chão criando uma grande explosão. UniGreat se posiciona em pé enquanto os Unirangers comemoravam a vitória.
- Ahhhh! - Yuusuke se esticava espreguiçando e feliz. - Cara, como é bom me sentir jovem novamente!
- Nem me fale! - comentava Ino. - Só de me olhar pro espelho e ver aquelas rugas todas... Credo!
Os três rapazes olhavam pra Ino estranhando.
- O-O que foi? - ela dizia um tanto sem graça com aquela atenção toda.
-Ora, deixem disso, rapazes! - dizia Miya se aproximando dela. - Ino é tímida, mas até mesmo uma pessoa tímida tem sua vaidade.
- Oh? - Yuusuke se aproxima de Miya. - Você conhece vaidade?
- Claro que sim! No planeta Uni, todos os homens pintam seu rosto quando vão acasalar.
- Espera... - Yuusuke se afasta. - Os homens se pintam? C-Como se estivessem indo pra guerra ou algo assim?
Takato revirava os olhos enquanto que Kenshin e Ino riam. Yuusuke fica confuso e então Takato dá um tapa em sua nuca afirmando que Miya estava tirando uma com a cara dele. Yuusuke ficava surpreso ainda mais com o quanto Miya parecia estar se adaptando à Terra.
Continua...

Pessoal! É hora do Quiz planetário!
A porta da sala de comando da UniShip se abre, Krinus teclava rapidamente no computador. A câmera se aproxima dele.
-Olá! O que acharam do episódio de hoje? Miya fazendo piada e tirando sarro da cara de Yuusuke, é... Parece que ela está ficando mais parecida com uma terráquea, não é mesmo? – dizia o robô. - O episódio de hoje foi centrado nela, portanto, vamos falar do planeta Venus! – ele apontava para o telão que mostrava uma imagem do planeta. Vênus gira no sentido anti-horário e, se passássemos um dia inteiro por lá, veríamos o sol nascer no oeste e se por no leste. Qual outro nome se dá pra isso e porque isso ocorre?

Encerramento: https://www.youtube.com/watch?v=1gRdGs1kIzg

Pessoal! É hora do quiz planetário!
- Oh, olá de novo! – dizia Krinus. – E então? Descobriram? Bom, a resposta é: Rotação Retrógrada! Esse é o outro nome dado ao movimento do planeta Venus. Os astrônomos especulam que a razão disso pode ter sido uma supercolisão de um asteroide ou outro objeto grande espacial no passado que alterou seu padrão rotacional. Aliás, devido a esse lento ritmo de rotação, um dos mais demorados de todo o Sistema Solar, o núcleo metálico de Vênus não é capaz de produzir um campo magnético como ocorre aqui no planeta Terra. Por hoje é só, mas fiquem aí e vejam o que vem a seguir!

Atention! Atention! A nave já vai partir!

Yuusuke convence Ino a sair da sua zona de conforto e levar Miya para passear na cidade, fazendo com que ela conheça um pouco mais do mundo feminino na Terra. Aproveitando-se disso, a Imperatriz Diiruma faz com que as duas caiam numa armadilha. Launch 9 – Make Up! Miya e Ino caem em uma armadilha


Velha Ino
 
Retricappu
Velho Yuusuke
Velho Takato
Velho Kenshin